29 de nov de 2013

Palpites TUF FINALE 18 - Maynard x Diaz




O TUF Finale 18 marca o fim da temporada do TUF que colocou Miesha Tate e Ronda Rousey frente a frente como treinadoras do reality show do UFC, em uma edição bem interessante que mesclou homens e mulheres nos times e revelou bons lutadores. Os finalistas disputam um contrato com o UFC.
Vale lembrar que Tate e Rousey lutarão dia 28 de dezembro no card do UFC 168, que colocará Anderson Silva e Chris Weidman frente a frente mais uma vez.
Como sempre vamos aos palpites do card principal de mais uma final de TUF.

Roxanne Modafferi (15-10) vs. Raquel Pennington (3-3) => Palpite: Modaferi vence.
Jessamyn Duke (2-0, 1 NC) vs. Peggy Morgan (2-0) => Palpite: Jessamun Duke vence.

Chris Holdsworth (4-0-0) vs. Davey Grant (8-1-0) => Palpite: Holdsworth vence.

Julianna Peña (4-2-0) vs. Jessica Rakoczy (1-3-0) => Palpite: Julianna Peña vence.

Gray Maynard (11-2-1) vs. Nate Diaz (16-9) => Palpite: Gray Maynard vence


26 de nov de 2013

Heavy Metal Alternativo : 10 Discos que você deveria conhecer (Parte 2)

A segunda parte dos 10 discos de Metal Alternativo que você deveria conhecer chegou, aproveite para relembrar, conhecer, concordar ou sugerir. Vale ressaltar que existem uma infinidade de excelentes registros do gênero, e que futuramente pode surgir novas listas.

Abaixo o Big Four do gênero na minha humilde opinião!

Divirtam-se




#4 - Faith No More - Angel Dust (1992)





Antes de mais nada, não estou louco, apesar da proposta maluca e desconstrutiva o Faith No More, sem querer criou um estilo com o esquisito e genial Angel Dust, o álbum que mostrou ao mundo um dos embriões do chamado New Metal, foi considerado suicídio comercial após o explosivo sucesso do ótimo The Real Thing (1989).

Mike Patton & Cia quebraram todas as barreiras e misturaram de tudo em Angel Dust, músicas pesadas,momentos melodiosos, letras sarcásticas, experimentações.
A execução é  impecável, mesmo não sendo um disco totalmente Hard Rock ou  Metal Alternativo, marcou época.

Destaques: Land of Sunshine, Midlife Crisis, A Small Victory



Land Of Sunshine



Midlife Crisis





#3 - Rage Against The Machine - Rage Against The Machine (1992)





O RATM é um dos maiores expoentes do Rock Pesado, um dos percursores do Metal Alternativo, que combinou de maneira explosiva um instrumental fantástico com vocalizações nervosas de Hip Hop, letras politizadas com um forte apelo de ativismo. 

No meio desse caldeirão sonoro Zack De La Rocha  (vocais) e Tom Morello (Guitarras) lideraram uma das bandas mais originais dos anos 90. O debut auto intitulado de 1992 é um dos grandes discos dos anos 90, um item obrigatório na coleção de quem curte Rock e Metal.

Destaques: Killing In The Name, Take The Power Back, Bullet In The Head


Killing In The Name


Take The Power Back




#2 - Anthrax -  Sound Of White Noise ( 1993)



Um dos ícones do Thrash Metal, o Anthrax viveu um momento conturbado com a saída do vocalista Joey Belladona no inicio dos anos 90, com John Bush nos vocais uma nova proposta sonora  se iniciou, misturando Heavy Metal, Hardcore e Rock Alternativo .

Sound of White Noise é um clássico da música pesada, a  produção cuidadosamente suja, as guitarras graves de Scott Ian e Dan Spitz, a bateria cavalar de Charlie Bennate e o baixo metalizado de Frank Bello  somados aos vocais roucos e raivosos de John Bush deram uma nova cara ao Anthrax e ao Thrash Metal.

Destaques: Only, Room For One More, Black Lodge


Only


Black Lodge



#1 Slipknot - Vol 3: The Subliminal Verses (2004)





Grande clássico do Heavy Metal da última década, o Slipknot atingiu seu auge, trazendo a sonoridade brutal de Iowa com toques mais melódicos, um grande avanço em termos de arranjos e diversidade, o trio formado por Corey Taylor (vocais) James Root (Guitarra) e Joe Jordison (Bateria) é a espinha dorsal dos 9 mascarados, e neste álbum entregam suas melhores performances.

A produção caprichada a cargo de Rick Rubin extraiu o melhor dos caras, um registro moderno que mostra que o Heavy Metal pode evoluir e explorar novas sonoridades.

Destaques: Duality, Pulse Of Maggots, Before I Forget


Duality


Before I Forget


22 de nov de 2013

Dream Theater - Dream Theater




Nota: 8,5

O Dream Theater é um ícone do Prog Metal, a banda mais popular, amada e odiada do estilo é uma referência, um marco no quesito técnico, músicos excepcionais fazendo músicas altamente complexas mas melodiosas.

Entretanto desde o aclamado Six Degrees Of Inner Turbulence (2002) a banda devia um álbum excelente, os registros seguintes ( Train Of Thought, Octavarium, Systematic Chaos, Black Clouds & Silver Linnings e A Dramatic Turns of Events) são muito bons, e possuem momentos brilhantes, mas faltava algo para serem clássicos.

Finalmente sai o auto intitulado do Dream Theater, e podemos dizer que este traz a banda de volta a sua melhor forma, um clássico na essência, complexo, grandioso e igualmente emocionante.  Talvez a melhor comunicação entre os caras refletiu nisso, pois dizem que a relação com Mike Portnoy já andava desgastada há anos, especulações a parte, os bons álbuns anteriores deram lugar a um registro especial.

Destacar os músicos é algo desnecessários, são excelentes, vale ressaltar como o batera Mike Mangini evoluiu conseguindo  se distanciar de Portnoy  mas manter a identidade do Dream Theater.

False Awakening Suite, é uma faixa instrumental grandiosa que abre bem o álbum, algo como um inicio cinematográfico, impossível não se empolgar, até que The Enemy Inside entra sem  pedir licensa, John Petrucci aparece com riffs certeiros e seu timbre inconfundível, destaque para os grandes vocais de James Labrie que acerta em cheio no refrão.

As influências de Rush despontam na excelente The Looking Glass,  menos complexa mais empolgante tem uma melodia cativante, esse clima mais "simples" dá lugar a complexidade e virtuose de Enigma Machine, uma instrumental fantástica que remete a grandes momentos do passado como Erotomania e The Dance Of Eternity.

Em The Bigger Picture temos um retorno ao rock progressivo setentista, com ênfase em Jordan Rudess, os bons arranjos dos teclados ao fundo da mixagem criam um aspecto sonoro profundo, além dos bons arranjos de piano.  O clima soturno misturado ao peso em Behind The Veil  é guiado pelo baixo excepcional John Myung e pela bateria de Magini, que foi muito bem gravada, vale destacar o som de bumbo do álbum todo é sensacional.

Surrender To Reason traz a tona o Prog Metal mais clássico, o típico som do Dream Theater, os instrumentos construindo uma massa sonora complexa, com arranjos e compassos matemáticos aliados a uma melodia cativante, o duelo de John Petrucci e John Myung durante o solo de guitarra é muito legal.

A típica balada do Dream Theater aparece em Along For The Ride, sem grandes surpresas cumpre bem seu papel mas fica um pouco ofuscada diante do restante do material apresentado, mas vale a audição, e nesses momentos James Labrie mostra sua competência e identidade.

O grande épico do álbum é Illumination Theory e seus 20 minutos grandiosos e megalomaníacos, é a faixa que os fãs hardcore esperam, e os que não são fãs criticam, suites intermináveis, incursões orquestradas, solos de todos os instrumentos, temática complexa, tudo no superlativo, e exagerado sem economias, isso faz parte do Dream Theater, gostando ou não.

Acredito que Dream Theater era o trabalho que os fãs esperavam, mesmo lançando grandes discos em seqüência todos esperavam um registro que tirasse a banda de uma zona de conforto e a colocasse no topo como em diversos momentos de sua história, pois bem, James Labrie, Jordan Rudess, John Petrucci, John Myung e Mike Mangini escreveram mais um capítulo vitorioso na história do Prog Metal. Recomendo!!


The Enemy Inside


Dream Theater (2013)

1. False Awakening Suite
2. The Enemy Inside
3. The Looking Glass
4. Enigma Machine
5. The Bigger Picture
6. Behind The Veil
7. Surrender To Reason
8. Along For The Ride
9. Illuination Theory

A Banda

James Labrie (Vocais)
John Petrucci (Guitarras)
Jordan Rudess (Teclados e Sintetizadores)
John Myung (Baixo)
Mike Mangini (Bateria)


17 de nov de 2013

UFC 167 - Hendricks foi injustiçado!

A festa de 20 anos de UFC foi memorável, o maior evento de MMA do planeta e o símbolo do esporte poderia ter terminado melhor.

A luta principal entre Georges St Pierre e Johny Hendricks teve um resultado controverso, longe de ser um roubo ou algo do gênero, Hendricks merecia a vitória, foi mais agressivo, contundente e dominante em um combate equilibrado.

Desde o casamento da luta, todos sabiam que Hendricks é o cara certo para destronar o excelente St Pierre, que mesmo levando um atraso, resistiu a pressão e conseguiu em muitos momentos fazer Henricks andar para trás.  Foi sim uma grande luta.

No primeiro round estudado, St Pierre foi melhor no geral, mesmo levando golpes mais fortes do desafiante, acertou mais, dominou as ações e impôs seu jogo, no segundo round Hendricks veio mais aceso e dominou, no terceiro e mais equilibrado round do combate, St Pierre e Hendricks alternavam o domínio até que o desafiante achou uma queda no fim do round e ao meu ver, levou por 10-9.

Os dois últimos rounds foram os opostos, Hendricks impôs um duro castigo em St Pierre, abrindo cortes com boas cotoveladas quando derrubou o campeão. St Pierre retribuiu no quinto e último round, acertando socos poderosos e bons chutes, um dos diretos fez o barbudo recuar, e ainda anotou uma queda.

St Pierre  ganhou os rounds 1 e 5 

Hendricks ganhou os rounds 2, 3 e 4

Dois dos juízes anotaram o primeiro ou terceiro round (o mais equilibrado) para St Pierre, o que gerou a controvérsia.

Resultado oficial: St Pierre venceu por 48-47 na opinião de 2 Juízes, Hendricks venceu por 48-47 na opinião de 1 juíz. Decisão dividida a favor de St Pierre.

Resultado Justo: Hendricks vencendo por 48-47.

Que venha a revanche!

Troca na curta distância
Hendricks bate forte!

Resultado dos palpites  : 3 Acertos (Bagautinov, Evans e St Pierre) 2 Erros ( Tyron Woodley e Robbie Lawler)
Placar Geral: 90 Acertos e 53 Erros =  63,00 % de Acerto


14 de nov de 2013

Palpites UFC 167 - St Pierre x Hendricks



Comemorando os 20 anos de UFC em Las Vegas, Georges St Pierre defende seu cinturão contra o temido Johny Hendricks, em um combate que promete emoções, uma vez que o desafiante vem atropelando seus adversários e quer dificultar a vida do canadense mais famoso do MMA.

Como sempre vamos aos palpites do card principal do evento que será especial, uma vez que é um marco histórico na organização que está maior do que nunca!


Tim Elliott (10-3-1) vs. Ali Bagautinov (11-2)

Luta de dois bons lutadores dos pesos moscas, o russo Bagautinov tem mãos pesadas e é um temido nocauteador, Elliot vai buscar a luta agarrada para vencer. Palpite: Bagautinov vence.

Josh Koscheck (17-7) vs. Tyron Woodley (11-2)

Boa luta nos meio médios, ambos estão longe do melhor momento de suas respectivas carreiras e a luta tende a ser mais amarrada, dois wrestlers difíceis de serem derrubados, provavelmente acabarão trocando golpes em pé. Luta equilibrada. Palpite: Josh Koscheck vence.

Rory MacDonald (15-1) vs. Robbie Lawler (21-9)

Uma luta interessante, apesar do favoritismo de Rory MacDonald, nunca podemos duvidar do poder de nocaute de Robbie Lawler, que se mostrou bem ajustado ao peso de 77 kgs. MacDonald é tecnicamente mais apurado e pode levar a luta para o chão. Combate complicado. Palpite: MacDonald vence.

Rashad Evans (18-3-1) vs. Chael Sonnen (28-13-1)

Dois Wrestlers de nível mundial, Sonnen e Evans são experientes e já enfrentaram os melhores do mundo, mas vejo Rashad mais completo, anulando o jogo de pressão de Sonnen e aplicando seus golpes potentes, mas Sonnen é aguerrido, e pode surpreender como fez com Shogun. Palpite: Rashad Evans vence.

Georges St-Pierre (24-2) vs. Johny Hendricks (15-1)

St Pierre é sempre favorito em sua categoria, todos já conhecem seu jogo, tático e funcional, vem batendo desafiantes e mantendo seu reinado nos meio médios, Hendricks surge como uma ameaça, o barbudo tem mãos pesadíssimas, bom jogo de wrestling e uma determinação acima da média, será um combate tenso e não será surpresa uma vitória do desafiante. 50% para cada um. Palpite: St Pierre vence.

11 de nov de 2013

Resultados dos Palpites UFC Fight Night 31 e 32


Novembro é um mês agitado para os fãs de MMA com diversos eventos ocorrendo e nem sempre consigo correr atrás do calendário do UFC, portanto teremos um post resumindo as duas últimas edições do UFC Fight Night, edições 31 e 32.

Na edição 31 tivemos Tim Kennedy passando fácil por Rafael Natal com um nocaute no primeiro round, Kennedy busca um boa posição no ranking dos pesos médios do UFC, mesmo estando abaixo da elite da categoria pode dar trabalho, mas dificilmente será campeão da divisão.

Rafael Natal chegou a pressionar, mas com a guarda aberta e golpes sem precisão foi vítima de um cruzado que acertou em cheio faltando pouco mais de 10 segundos para o fim do round.

Kennedy lançou um golpe certeiro 

Liquidou a fatura


Já no sábado, o UFC foi a  Goiânia com um main event de peso colocou duas lendas frente a frente pela segunda vez, Vitor  Belfort enfrentou Dan Henderson na categoria dos meio pesados, e o que vimos foi inacreditável, Belfort nocauteou um dos lutadores mais resistentes da história.

Henderson vinha de duas derrotas controversas, Lyoto Machida e Rashad Evans venceram na decisão dividida dos juízes em combate apertado, Belfort passou por cima com um upper devastador e depois com Henderson se levantando, emendou um chute potente e acabou com a luta com pouco mais de um minuto de luta.

Vitor Belfort é o lutador que vem quebrando recordes de nocautes,  nenhuma luta que ele venceu no UFC foi para decisão, todas por nocaute ou finalização, grande marca!



Upper certeiro!


Chute que fechou a luta!

Resultado dos palpites (2 eventos) : 5 Acertos (Chiesa, Kennedy, Feijão, Cezar Mutante e Belfort) 6 Erros ( Khabilov, Romero, Alexis Davis, Jeremy Stephens, Laflare, Brandon Tatch)
Placar Geral: 87 Acertos e 51 Erros =  63,00 % de Acerto

8 de nov de 2013

Palpites - UFC Fight Night 32 - Belfort x Henderson




A menos de uma semana do último UFN, temos mais uma edição, agora em Goiânia. marca o segundo combate entre dois veteranos que ainda são top dentro do MMA, Vitor Belfort e Dan Henderson já lutaram no Pride há anos, e Henderson levou a melhor, desta vez em momentos distintos de suas carreiras, Vitor tem um leve favoritismo mas a luta continua imprevisível.

Daniel Sarafian e Cezar Mutante fazem a luta que nõa aconteceu no TUF Brasil 1, na ocasião, Serafian se lesionou. Agora o tira teima está marcado e os dois pesos médios finalmente entram em rota de colisão.


Como sempre vamos aos palpites do evento, vale lembrar que o resultado dos palpites das edições   31e 32 sairão no mesmo post no Domingo.


Rony Jason (13-3) vs. Jeremy Stephens (21-9)

Ronny Jason vem se mostrando consistente e mostrou que pode ir mais longe na categoria dos pesos penas, para isso, tem que passar por Jeremy Stephens, bem experiente mas não vive sua melhor fase, acredito que o brasileiro pode vencer sem grandes problemas, ainda mais se conseguir levar a luta para o o chão. Palpite: Ronny Jason vence.

Santiago Ponzinibbio (18-1) vs. Ryan LaFlare (8-0)

O Argentino mais brasileiro do MMA, Santiago Ponzinibbio faz sua estréia oficial no UFC, após ser eliminado do TUF 2 Brasil graças a uma fratura na mão nas semi finais, ele volta em busca de uma vitória. Confesso que não conheço Ryan LaFlare. Palpite: Santiago vence.

Paulo Thiago (15-5) vs. Brandon Thatch (10-1)

Paulo Thiago sempre faz lutas difíceis mas empolgantes, apesar do cartel irregular  sua bagagem pode pesar, Brandon Thtach vem de uma boa seqüência de vitórias mas via enfrentar seu primeiro grande desafio. Palpite: Paulo Thiago vence.

Rafael “Feijao” Cavalcante (11-4) vs. Igor Pokrajac (25-10)

Feijão  foi nocauteado por Thiago Silva na estréia do UFC, Pokrajac  vem em má fase e terá trabalho para vencer o brasileiro. Bom combate entre os meio pesados. Palpite: Feijão vence.

Cezar “Mutante” Ferreira (6-2)  vs. Daniel Sarafian (8-3)

Mutante e Sarafian são dois bons lutadores do peso médio, no TUF Brasil 1, venceram seus oponentes de forma convincente, e agora fazem a luta que deveria ter acontecido em 2012. Apesar do equilíbrio técnico vejo Cezar Mutante com vantagem na envergadura, apesar da boa velocidade de Sarafian. Palpite: Mutante vence.

Vitor Belfort (23-10) vs. Dan Henderson (29-10)

Duas lendas do MMA, Henderson e Belfort dispensam maiores apresentações, dois grandes lutadores, Belfort vem melhor nos últimos combates, Henderson é sempre um grande desafio e pode vencer qualquer lutador. A direita de Henderson e seu wrestling são armas perigosas, Vitor terá que usar a velocidade, explosão e seus socos e chutes. Excelente combate. Palpite: Belfort vence.


5 de nov de 2013

Palpites UFC Fight Night 31 - Kennedy x Natal




O UFC vai a base militar de Kentucky para mais um evento, apelidada de Fight For The Troops, O UFC FIGHT FIGHT 31 marca o embate entre Tim Kennedy (que  já prestou serviços as forças armadas) e o brasileiro Rafael Natal, pela categoria dos médios

Vamos aos palpites do card principal

Colton Smith (3-2) vs. Michael Chiesa (9-1)

Dois lutadores que ainda buscam espaço nos pesos leves, Chiesa é raçudo e determinado, é especialista na luta agarrada, Colton Smith é zebra e provavelmente vai buscar a luta em pé para vencer. Palpite: Michael Chiesa vence.

Jorge Masvidal (25-7) vs. Rustam Khabilov (16-1)

Dois lutadores em ascensão, Masvidal já enfrentou grandes nomes, Khabilov vem subindo alguns degraus, é um combate duro, dois lutadores versáteis e com bom potencial nos pesos leves, longe ddi top10, uma boa luta difícil de apostar em um favorito.Palpite: Masvidal vence.

Ronny Markes (14-1) vs. Yoel Romero (5-1)

Ronny é um lutador muito forte entre os pesos médios, e se impor seu jogo de luta agarrada e pressionar Romero vence levando a luta para o chão, sua especialidade e da sua equipe a Nova  União. Romero vai tentar a luta em pé para buscar um nocaute. Palpite: Ronny Markes vence.

Liz Carmouche (9-3) vs. Alexis Davis (14-5)

Liz Carmouche é uma das maiores estrelas do UFC ao lado de Ronda Rousey e Misha Tate, Alexis é versátil e tem um bom jogo de chão. Acredito na pressão de Carmouche, mas é uma luta complicada e tende a ser equilibrada. Palpite: Carmouche vence.

Tim Kennedy (16-4) vs. Rafael “Sapo” Natal (17-4-1)

Dois lutadores do pelotão intermediário no peso médio, Kennedy amarra lutas, é estrategista e tem um bom condicionamento físico, Rafael é um especialista na luta de chão e terá que usar o mesmo epara vencer, Kennedy é favorito por ser mais completo. Palpite: Kennedy vence.