30 de mai de 2014

Palpites TUF Brasil Finale 3 - Maldonado x Miocic





O UFC vai a São Paulo para definir os vencedores do TUF BRASIL 3, que ao contrário das edições anteriores mostrou muitos atletas de bom nível e combates interessantes.

Como sempre vamos aos palpites do card principal do evento, que contou com a baixa de Júnior Cigano, que acabou se machucando, para seu lugar Fábio Maldonado entrou com pouco tempo para segurar o Croata.

Vamos aos Palpites do Card Principal



Rony Jason (14-4) vs. Robbie Peralta (17-4, 1 NC) => Rony Jason Vence.

Demian Maia (18-6) vs. Alexander Yakovlev (21-4-1) => Demain Maia Vence.

Marcio "Lyoto  Alexandre (13-0) vs. Warlley Alves (7-0) => Warlley Alves vence.

Vitor Miranda (10-3) vs. Antonio Carlos Junior "cara de sapato" (4-0)=> Vitor Miranda vence.

Stipe Miocic (11-1) vs. Fabio Maldonado (21-6) => Stipe Miocic vence.

27 de mai de 2014

UFC 173- A Supremacia de TJ Dillashaw


Talvez a maior surpresa recente do UFC ocorreu no sábado, Renan Barão vinha muito bem como campeão dos pesos galos, vitórias sobre Urijah Faber, Michael McDonald, Eddie Wineland e Faber novamente credenciavam Barão como um dos nomes praticamente imbativeis do evento.

TJ Dillashaw é um bom lutador, mas nunca demonstrou características extraordinárias apesar de  sempre figurar na parte de cima do ranking da divisão, até que no último sábado o americano rendeu seu máximo e com uma apresentação perfeita aplicou uma derrota avassaladora sobre o brasileiro.

Barão errou na estratégia, ao esperar o americano que se movimentava demais (lembrando o ex-campeão Dominick Cruz) levou um atraso, visivelmente mais lento e sem a explosão habitual o Brasileiro assistiu a vitória de TJ, que com um knockdown no primeiro round definiu os rumos do combate, mesmo levando alguns golpes do ex-campeão, TJ tomou conta da luta e liquidou a fatura no quinto round.


TJ Dillashaw surpreendeu a todos e é o novo campeão peso galo do evento, Renan Barão segue prestigiado e em breve deve voltar para tentar retomar seu cinturão.







No co main event Daniel Cormier passou por cima do Dan Henderson finalizando com um mata leão, e espera o resultado da revanche entre Jon Jones e Alexander Gustaffson pelo cinturão dos pesos meio pesados.



Outro lutador que se destacou foi Robbie Lawler que nocauteou Jake Ellenberger e pode ter uma revanche contra Johnny Hendricks pelo cinturão dos meio médios.






Resultado dos palpites: 3 Acertos (James Krause, Robbie Lawler e Daniel Cormier) 2 Erros (Takeya Mizugaki e TJ Dillashaw)

Placar Geral 42 acertos 22 Erros = 65,6% de Acerto


22 de mai de 2014

Palpites UFC 173 - Barão x Dillashaw



O UFC volta a Las Vegas para promover mais uma luta de Renan Barão, peso galo que aceitou lutar para cobrir os diversos desfalques de atletas escalados, entre eles Chris Weidman que enfrentaria Lyoto Machida.

Barão e TJ Dillashaw prometem um grande combate, além de outras grandes lutas na programação.

Como sempre vamos aos palpites do Card Principal do evento.


Jamie Varner (21-9-1, 2 NC) vs. James Krause (20-5)


Dois lutadores agressivos que partem para a luta franca, ambos buscam uma vitória para escapar da pressão do facão de Dana White, luta difícil. Palpite: Krause vence

Takeya Mizugaki (19-7-2) vs Fransisco Rivera (10-2)

Duleo de estilos, Mizugaki utiliza mais a luta agarrada, Rivera e mais agressivo em pé.  Acredito mais na agressividade do americano. Palpite: Rivera vence.

Robbie Lawler (22-10, 1 NC) vs. Jake Ellenberger (29-7)

Lawler quase venceu Hendricks pelo título dos pesos meio médios, fez um combate espetacular e vem de boas lutas dentro do UFC. Ellenberger vem buscando sua chance de disputa de cinturão, mas sempre tropeça em momentos cruciais. Luta duríssima, se Lawler encaixar seus golpes vence a luta, Ellenberger vai usar seu Wrestiling para controlar a luta. Palpite: Lawler vence.

Daniel Cormier (14-0) vs. Dan Henderson (30-11)

Dan Henderson renasceu após a vitória sobre Shogun, mesmo com um golpe jogado e levando um atraso venceu nocauteando, Cormier vem em ascensão, buscando Jon Jones. Acredito na vitalidade e velocidade de Cormier, mesmo sabendo que nunca podemos subestimar Dan Henderson. Palpite: Cormier vence.

Renan Barao (33-1, 1 NC) vs. TJ Dillashaw (9-2)

O Brasileiro é um lutador completo e feroz, Dillashaw tem qualidade mas precisa de um bom plano de jogo para vencer, Barão é agressivo e técnico, e se usar bem a combinação de velocidade e técnica, vai vencer. Palpite: Barão vence.


14 de mai de 2014

UFC Fight Night 40 - Matt Brown vence com sobras!




O UFN 40 colocou frente a frente dois bons nomes da categoria dos Meio Médios, Matt Brown e Erick Silva são lutadores agressivos e com bom nível técnico, o americano tem mais bagagem no evento e o brasileiro é tido como uma das promessas do evento.

Erick Silva tem um sério problema com seu condicionamento físico, cansa muito rápido e se não define a luta rapidamente é derrotado sem grandes problemas, foi assim contra John Fitch no Brasil, e isso se repetiu no último sábado.

Matt Brown é um lutador incansável, conhecido como Immortal, Brown não entrega as lutas facilmente e mesmo sentindo um chute no abdômen, recebendo golpes no chão ele resistiu, até que Silva tenta uma pegada pelas costas e aplicando um Mata Leão mal executado ( e insistindo em uma posição errada) cansa e abre espaço para a reação.

O Americano virou o primeiro round vencendo, aplicou um massacre nos dois subsequentes até que o juiz decretou nocaute técnico no terceiro round, Matt brown venceu em pé e no chão, dando uma aula para Erick Silva.

Matt brown caminha para seu tittle shot, Erick Silva mostra que precisa melhorar MUITO para figurar no top 10 da divisão.




Resultado dos palpites: 2 Acertos (Cariaso e Palelei) 4 Erros (Magny. Cruickshank, Philippou e Matt Brown)

Placar Geral 39 acertos 20 Erros = 66,7% de Acerto

9 de mai de 2014

Palpites UFC Fight Night 40 - Brown x Silva








Mais um evento com lutadores intermediários dentro do UFC, bons nomes que buscam um lugar no top 10 de suas categorias, o brasileiro Erick Silva e o americano Matt Brown fazem a luta principal, dois bons lutadores dos pesos meio médios que podem crescer dentro da organização.

Como sempre, vamos aos palpites do Card Principal.


Chris Cariaso (16-5) vs. Louis Smolka (7-0) => Cariaso vence.

Soa Palelei (20-3) vs. Ruan Potts (8-1) => Palelei vence.

Tim Means (20-5-1) vs. Neil Magny (9-3) => Means vence.

Erik Koch (14-3) vs. Daron Cruickshank (14-4) => Koch vence.

Costa Philippou (12-4, 1 NC) vs. Lorenz Larkin (14-2, 1 NC) => Larkin vence.

Matt Brown (18-11) vs. Erick Silva (16-4, 1 NC)=> Silva vence.


7 de mai de 2014

Noturnall - Noturnall





Nota: 9,00

Experiência e ousadia, duas palavras que me vieram a mente quando ouvi o debut auto intitulado do Noturnall, a junção repentina de membros do Shaman, com Aquiles Priester na bateria pegou muitos de surpresa. 

Músicos com boa rodagem na cena metal, oriundos do Power Metal,  e produzidos por Russel Allen (Symphony X e  Adrenaline Mob), iriam fatalmente convergir para o estilo citado, certo? Errado!

O Noturnall pratica um Prog Metal carregado de um peso  brutal, tanto no instrumental quanto no vocal, Thiago Bianchi mostrou muita versatilidade, diga-se de passagem. O trabalho é bem produzido, mixagem atual e timbres condizentes com a proposta dos caras, não esperem epopéias melódicas e velozes, a ênfase do trabalho é outro, guitarras que beiram o Thrash Metal, bateria e baixo quebrados, teclados e efeitos pouco convencionais.

A melodia está muito presente  mas diluída em meio a experimentações bem sucedidas, ninguém pode acusar o Noturnall de não ter personalidade, mas para situar a sonoridade podemos colocar o Dream Theater do pesadíssimo Train Of Tought mesclado com Groove Metal, mas com características próprias

O disco não foi feito para agradar qualquer fã, e sim mostrar a livre expressão dos músicos,  é um trabalho que prima pela liberdade criativa dentro de um aspecto pesado e complexo, a abertura com No Turn At All já choca o ouvinte que esperava algo convencional, Aquiles já apresenta viradas e andamentos brutais na bateria, e as guitarras pesadas  Leo Mancini já desmontam qualquer expectativa de músicas fáceis. 

Nocturnal Human Side é uma música cativante, contando com um dueto entre Russell Allen e Thiago Bianchi com grande refrão, cabe aplausos para Thiago que mostrou vocais muito agressivos carregados de drives, uma pequena ressalva na mixagem que as vezes compromete a nitidez da voz dele.

Aquiles Priester mostra o porquê é tão aclamado como baterista em Zombies, um show de bateria e percussão, o baixo de Fernando Quesada e a guitarra de Leo Mancini trabalham para construir uma estrutura pesada, e os teclados de Junior Carelli remetem a Derek Sherenian, com efeitos sintetizados usando até iPads e iPhones!  

Sem precisar apelar para clichês, o Noturnall buscou explorar muito mais que arranjos progressivos, os timbres e efeitos dos instrumentos são um meio de alcançar uma maior gama sonora, Master Of Deception é o exemplo claro disso,  massa sonora, pesada mas bem definida e amarrada com um refrão claro e simples. St Trigger é bem orientada para as guitarras de Leo Mancini com harmonias bem sacadas e um grande solo, vale destacar como Quesada e Aquiles trabalham de forma harmoniosa e complexa, é a melhor faixa do disco.

Sugar Pill vem mais comuml, que no caso deste álbum é um grande diferencial, mais leve, com uma boa pegada Hard Rock,  traz a sonoridade para um campo mais melódico lembrando Avantasia, com boa participação dos teclados e grandes linhas vocais. Last Wish suaviza as coisas na hora certa, uma balada que remete diretamente ao Shaman, piano, violões, arranjos de teclados muito bem escritos.

Hate!!! traz o prog metal de volta e flerta com o metal alternativo, dotada de um refrão ótimo, além de um bom trabalho da percussão de Aquiles. Fake Healers é avassaladora, o baixo de Quesada aparece com muito peso além de um solo espetacular. The Blame Game fecha o petardo de maneira mais calma com uma bem vinda  influência de Marilliom e grandes vocais de Bianchi, carregado de emoção.

Portanto não é um disco fácil, mas tem em sua complexidade seu maior mérito e se você ainda tem preconceito com Metal Nacional, com declarações do passado que você possa não concordar, esqueça, abra sua mente para um novo conceito, Noturnall estreou muito bem,  surpreendendo quem esperava uma sonoridade batida e acomodada. 

Um dos discos que estará no meu top 10 2014!






Nocutrnal Human Side


No Turn At All



Noturnall (2014)

  1. No Turn At All
  2. Nocturnal Human Side
  3. Zombies
  4. Master Of Deception
  5. St. Trigger
  6. Sugar Pill
  7. Last Wish
  8. Hate!!!
  9. Fake Healers
  10. The Blame Game

A Banda


Thiago Bianchi (Vocal)
Fernando Quesada (Baixo, Backing Vocals e Guitarras Acústicas)
Leo Mancini (Guitarras, Backing Vocals, Guitarras Acústicas)
Junior Carelli (Teclados, iPads, iPhones e Backing Vocals)
Aquiles Priester ( Bateria e Backing Vocals)

5 de mai de 2014

Savage Messiah - The Fateful Dark








Nota: 8,00

Ouvir bandas novas virou uma missão para mim, sou um defensor da renovação uma vez que nossos ídolos não vão estar na ativa para sempre. Sendo assim acho importante abrir a mente para o novo, e   acredito que existem muitas bandas boas esperando uma chance para carregar o bastão e dar continuidade a mais de quarenta anos de música pesada,

O Savage Messiah que estreou em 2010 é uma boa aposta, os ingleses  conseguem executar bem a mistura de Thrash Metal e Power Metal, não se trata de uma banda de vanguarda, a sonoridade é bem definida, para o bem e para o mal, o material é bem gravado, os instrumentos bem timbrados e os músicos executam tudo de maneira precisa.

A qualidade técnica é complementada por composições fortes e cativantes, em um primeiro momento Fateful Dark passa batido, aparenta ser mais um disco de Metal, porém ao decorrer de várias audições podemos notar peculiaridades que saltam aos ouvidos.

Quando os primeiros acordes das guitarras de Iconocaust começa a sair dos alto falantes temos a impressão de que vem algo forte e explosivo, e tudo se confirma caindo em um Thrash Metal que remete ao Metallica e ao Testament dos 80's, porém ouvidos mais atentos notam que existe algo a mais, uma sútil e bem colocada influência de Power Metal, Gamma Ray me veio a cabeça logo que ouvi, deixando a sonoridade interessante.

Se por um lado o Thrash metal da abertura fala alto, a Power Metal Cross Of Babylon adiciona velocidade e guitarras em profusão, disparando melodias certeiras, uma aula de bateria, mesmo com duas faixas inicias explodindo o melhor ainda vem depois

Os bumbos de Andrea Gorio são ferozes em Hellblazer e  se destacam com uma influência forte de Scott Travis do Judas Priest. A boa balada Live As One Already Dead, abre espaço para os melhores momentos do disco.

The Fateful Dark é a melhor faixa do registro, cadenciada, dotada de riffs matadores e grooves poderosos do baixo de Mira Slama, vocais certeiros e uma dinâmica instrumental muito interessante, o refrão é sensacional e mostra o potencial dos caras em escrever boas músicas, destaque absoluto.

Mais uma pedrada, Zero Hour é outro momento de inspiração devido aos grandes arranjos das guitarras da dupla Dave Silver  e Joff Bailey os vocais no refrão lembram James Hetfield em inicio de carreira, mais um momento inspirado.

Após o melhor momento do disco, a thrasheira  Hammered Down vem acelerada, lembrando Flotsam & Jetsam, mantendo a pegada thrash Scarvenger Of Mercy e a tradicional The Cursed Earth terminam bem o álbum.

O Savage Messiah é uma banda com sonoridade bem conservadora, sem muito espaço para inovações, porém as composições são cativantes e a execução é de primeira, músicos bons fazendo boa música.

Vale pena conferir!

The Fateful Dark





Hellblazer




The Fateful Dark (2014) 


  1. Iconocaust
  2. Minoriity Of One
  3. Cross Of Babylon
  4. Hellblazer
  5. Live As One Already Dead
  6. The Fateful Dark
  7. Zero Hour
  8. Hammered Down
  9. Scarvenger Of Mercy
  10. The Cursed Earth
  11. Be Quick Or Be Dead (Iron Maiden cover)
  12. Lighting To The Nations ( Diamond Head Cover)
  13. Killers (Bonus Track)



A Banda

Dave Silver  (Vocais, Guitarras)
Joff Bailey  (Guitarras e Backing Vocals)
Mira Slama  (Baixo)
Andrea Gorio  (Bateria)