29 de mai de 2012

UFC 146 - Em Vegas!!

No último sábado Las Vegas tremeu no UFC 146, com o título de Heavyweights, os pesos pesados fizeram do card principal um dos melhores eventos do UFC.

E para mim, foi ainda mais especial, pela primeira vez, fui ao MGM Grand Garden Arena, depois de mais de 10 anos acompanhando pela televisão e a sensação foi indescritivel, organização exemplar, pontualidade, sem filas, iluminação, telões, audio local, tudo perfeito, executado de forma magistral e mostrando o porquê de tanto sucesso do UFC mundialmente.

As lutas do card principal incendiaram o MGM com muita ação com nocautes e finalizações.

Arena cheia no card principal



Struve finaliza Johnson

Na abertura do card princiapal, o holandês Stefan Struve finalizou o americano Lavar Johnson com um arm lock da guarda, após um inicio forte de Johnson, que acertou fortes golpes em Struve, o holandês se aproveitou do clinche do americano, pulou em guarda e finalizou com um plástico armlock, arrebentando o cotovelo e o pulso de Lavar.

Struve conseguiu o armlock pegando cotovelo e punho com a torção


Nelson levanta o MGM

Roy Nelson é adorado pelos fãs de MMA, o gordinho tem carisma, é um sujeito simples, com um coração  enorme, um queixo de aço e uma potente mão direita, e na luta contra Dave Herman fez valer suas credenciais.
Após uma breve troca de golpes, na qual Herman usava chutes e pisões frontais, Nelson, aplicou um potente overhand de direita, direto no queixo de Herman que estava com a guarda baixa, resultado nocaute, e Las Vegas saudou o Big Country!

Bang! 
Miocic supera Del Rosario

Em uma luta bem movimentada, Stipe Miocic começou levando a pior contra Shane Del Rosário, mas a revelação do Strikeforce sentiu os 12 meses de inatividade, e no segundo round levou a virada, sendo nocauteado no Ground and Pound.  Boa vitória, Miocic avançou posições na categoria, Del Rosario por sua vez precisa de mais lutas para voltar ao ritmo que estava antes de seu acidente.
Miocic contundente no Ground and Pound
Velasquez vitória da Seriedade

Cain Velasquez mostrou sua força, confirmando o favoritismo e principalmente seriedade, enquanto o brasileiro Antonio Silva "Pezão" adotou a estratégia de provocar o ex-campeão, Velasquez se manteve focado na pesagem e nos momentos antes da luta.

Logo no incio do combate a diferença de velocidade entre os dois era latente e Velasquez interceptou um chute lento de Pezão, derrubou e iniciou um ground and pound brutal, abrindo um corte enorme em Pezão, que pouco fazia para se levantar.

Após uma interrupção do árbitro para ver o corte, a luta voltou ao chão, e Velasquez terminou o serviço com um TKO. O brasileiro pagou o preço de provocações desnecessárias e levou uma surra!

Velasquez mostrando eficiência
Cigano defendendo seu legado

O Memorial Day é um feriado em homenagem as forças armadas americanas, a atmosfera local era um misto de entusiasmo e festa, e os americanos apesar de apostarem no brasileiro, mantinham em Mir todas as esperanças de levar o cinturão. 

Porém Cigano veio decidido a vencer, e com uma estratégia perfeita, manteve Mir na sua distância e lançou golpes potentes, escapou de uma tentativa de queda e de uma chave de perna logo no inicio da luta.

A torcida brasileira foi a loucura quando no segundo round, após uma sequencia devastadora de socos, Cigano nocauteou Mir, que no chão não sabia de onde vinham os golpes. O brasuca defendeu seu cinturão pela primeira vez!

Impressionante o número de brasileiros na Arena saudando o campeão! E o melhor de tudo, eu estava lá! Card Inesquecível com um final fantástico!!



Abalando Frank Mir


Cigano atacando na média distância
Encontro no Aeroporto na ida a Las Vegas
Placar das Previsões UFC 146: 4 acertos (Miocic, Nelson, Velasquez e Cigano) 1 Erro (Struve)
Placar geral: 10 Acertos e 4 Erros = 71,4% de acerto 



18 de mai de 2012

Palpites UFC 146 : Cigano x Mir



Mais um UFC chegando, dia 26 de Maio em Las Vegas , a edição de número 146 vai fazer o MGM tremer com uma edição recheada de pesos pesados no card principal.

Estarei lá ao vivo para conferir, e podem esperar fotos e uma cobertura completa do evento, porém ainda estamos a uma semana do show, então é hora deles, os palpites do card principal!

Lavar Johnson (17-5-0) x Stevan Struve (23-5-0) - Lavar Johnson substituiu o neozelandês Mark Hunt, e vai encarar o gigante Holandês Stevan Struve, num duelo que tem tudo para sair faísca! Palpite - Johnson por nocaute.


Dave Herman (21-3-0) x Roy Nelson (16-7-0) - Roy Nelson tem um queixo indestrutível, e tem tudo para vencer Herman que apesar de muito forte, ainda não demonstrou que pode chegar ao topo da divisão dos pesos pesados. Palpite - Roy Nelson ganha na decisão.  


Stipe Miocic (8-0-0) x Shane Del Rosario (11-0-0) -  Del Rosario despontou como uma grande promessa no Strikeforce, inclusive sendo um dos reservas no GP dos Pesos Pesados, porém, após um acidente automobilístico está há meses sem lutar, desde que venceu Lavar Johnson por finalização. Palpite - Miocic por nocaute (mais pelo tempo parado de Shane)


Cain Velasquez (9-1-0) x Antonio "Pezão"Silva (16-3-0) - Velasquez é ex-campeão dos pesos pesados, e tem velocidade, força e um excelente wrestling para surpreender o brasileiro Pezão, que apesar de ter um poder de nocaute absurdo, é um pouco lento. Palpite - Velasquez por nocaute técnico.


Junior "Cigano"dos Santos (14-1-0)  x Frank Mir (16-5-0) - Uma luta interessante, e bem complicada, Cigano tem um boxe muito afiado, e uma excelente defesas de queda, Mir é um especialista em finalizações, muito forte, e com uma trocação boa. Porém acredito que a velocidade do Brasileiro vai surpreender. Palpite - Cigano por nocaute, mantém o cinturão.



16 de mai de 2012

UFC ON FUEL TV 3 - Empolgante!!

Na noite de ontem, terça feira, pudemos presenciar um grande evento, lutas empolgantes fizeram deste UFC ON FUEL TV 3, um dos melhores eventos de 2012. O card principal não contava com grandes estrelas, porém, tecnicamente surpreendeu quem não esperava um grande show.


Nas preliminares, os brasileiros Johnny Eduardo e Rafael dos Anjos quebraram a seqüência de derrotas dos lutadores brasileiros que já durava alguns meses, e com vitórias convincentes deram bons passos em suas respectivas categorias.


O card principal reservou grandes emoções e muita ação!

Lawlor nocauteia!

Na primeira luta do Card Principal, Tom Lawlor precisou de pouco tempo para nocautear Jason Macdonald no primeiro round, com um forte overhand levou o canadense ao chão, que apagado nada pode fazer, o árbitro interrompeu o combate, decretando a vitória por nocaute!

Lawlor liquidando a luta no inicio do combate.



Maldonado vence, mas não leva!

A segunda luta do card principal agitou a platéia, pela categoria Light Heavyweight, Fabio Maldonado e Igor Prokajac protagonizaram um grande combate! O Croata conseguiu uma boa queda logo no incio do primeiro round, apesar de controlar boa parte da luta no chão, Maldonado conseguiu uma boa levantada da meia guarda, e com a luta em pé, bombardeou o adversário, com potentes combinações na linha de cintura e cabeça.


Confiando no seu Boxe, Maldonado reverteu o round e levou a disputa. No segundo round, Prokajac, investiu em joelhadas no clinch e combinações, o Brasileiro agüentou muito bem os golpes, e na curta distancia desferiu potentes hooks, levando o croata para defensiva, que claramente acusava o recebimento dos mesmos. No fim do round Maldonado consegue cair por cima, e ganhar o round.


Já no terceiro round, Prokarjac atacou mais, conseguiu bons golpes, que chegaram a balançar o brasileiro, este manteve a estratégia de trocar na curta e investir em golpes na linha de cintura. O croata levou o round. Na contagem de todos comentaristas até de Dana White,  era certo um 29x28 Maldonado, porém os juizes anotaram duplo 29x28 Prokajac e um dos juízes anotou 30x27 para o croata!

Maldonado Jabeando!


Jabouin vence e convence

No duelo dos Leves, Yves Jabouin venceu fácil Jeff Hougland, com golpes plásticos, tais quais chutes rodados, cotoveladas, combinações e um efetivo Ground and Pound, Jabouin dominou Hougland nos três rounds, e faturou mais uma vitória.

Os chutes fizeram a diferença-
Cowboy Cerrone confirma seu Favoritismo


Donald Cerrone confirmou seu favoritismo e passou por cima de Jeremy Stephens, mostrando toda sua versatilidade, o cowboy não se intimidou e soltou seu jogo, ao contrário de sua luta contra Nate Diaz. Cerrone aplicou um forte castigo e sem dificuldade garantiu a vitória na decisão.


Cerrone sempre perigoso com seu arsenal de golpes




Sadollah x Lopez luta foi tão fraca que não merce destaque, a vitória de Amir Sadollah na decisão quase estragou a noite... não merecia estar no card principal....


 Korian Zombie uma ameaça ao reinado de José Aldo??


A luta principal do UFC ON FUEL TV 3 foi emocionante, o duelo na Featherweight Divison, honrou o status de evento principal e mostrou que essa é uma das melhores divisões do UFC.  Justin Prorier bem que tentou, mas não conseguiu fazer frente ao jogo diversificado de Chan Sung Jung, que dominou o americano.


Com boa trocação, um afiado jogo de quedas, raspagens e finalizações, Jung, anulou os pontos fortes de Prorier, que se viu forçado a ficar na defensiva. 


Nos quatro rounds, o Korian Zombie ditou o ritmo, e depois de uma linda raspagem, duas tentativas de finalização no triângulo e arm lock no terceiro round.


Já no quarto round Jung desferiu uma sequencia de golpes, incluindo uma joelhada voadora, e imendou um triangulo de mão apagando Prorier.


Vale ressaltar que o americano trocou golpes, reverteu posições e se defendeu muito bem das finalizações, mas Jung mostrou um forte candidato para ameaçar o reinado de José Aldo!


Triâgulo de mão, não bateu? Apagou!




Placar das Previsões desta edição: 3 Erros (Lawlor, Prokajac e Jabouin) 3 Acertos ( Cerrone, Sadollah e Jung)


Placar Geral: 6 erros 4 Acertos = Aproveitamento 40%





14 de mai de 2012

Tapa na Orelha # 2

Pegando carona no tema do Its Electric, Lutas & Música,  o Tapa na Orelha consiste em uma lista de sons que empolguem os fãs de uma boa pancadaria.

 O colaborador deste post é o Fábio, conhecido como Te Odeio, fã de música pesada e acompanha e comenta os combates do UFC.  E pelo visto a tarefa foi fácil, 5 sons para demolir tudo!!


#1 - Metallica - Broken, Beat  & Scarred




#2 - Slipknot - Surfacing





#3 - Pantera - Cowboys From Hell




#4 - Matanza - Eu não gosto de ninguém




#5 - Arch Enemy - Silent Wars




13 de mai de 2012

Bellator 68 - Esquentando o clima em New Jersey

O Bellator já está estabelecendo uma  tradição, boas lutas nas sextas feiras, e no último dia 11 nao foi diferente,  com uma das semi finais do torneio bantamweight, final do GP featherweight, e lutas casadas, a edição de número 68 promoveu excelentes combates.

Um dos destaques foi a luta casada entre Marius Zaromskis e Whaachin Spiritwolf, na categoria Welterweight (77kgs), começou morna, mas ganhou contornos dramáticos com uma intensa troca de golpes no segundo round.

Apesar de um corte profundo ao levar uma forte joelhada, Spiritwolf apertou o passo e partiu para uma sequencia de golpes que quase nocauteou Zaromskis, porém a luta foi para o chão, e no fim do round, os médicos interromperam a luta devido ao corte acima do olho de Spiritwolf. Zaromskis Ganhou por TKO.





Na Semi Final do GP Bantamweight, o brasileiro Marcos Galvão " Louro" fez uma boa luta contra Travis Marx, com rounds muito equilibrados, o brasileiro conseguiu ser superior na trocação no primeiro e terceiro round e levou a luta em decisão unanime.

Marx claramente amarrou a luta e evitou os fortes low kicks do brasileiro que abalaram sua movimentação, com um jogo amarrado, o americano conseguiu ganhar o segundo round, mas não foi suficiente. Loro avançou para a final do GP Bantamweight.



Já na final do GP Featherweight o Brasileiro Marlon Sandro enfrentou o Americano Daniel Straus, em uma luta dura, o brasileiro levou um forte golpe baixo logo no incio da luta, acidental. Quando a luta recomeçou, Straus claramente procurava controlar o clinche, e golpear com joelhadas as coxas de Marlon, que após se recuperar de um contra gole de seu ouchi-gari, levantou e aplicou um lindo Harai-Goshi, estatelando o americano no chão.

A luta caminhou exatamente desta forma os três rounds, Straus controlando o clinche, e pontuando, no terceiro round, Marlon claramente em desvantagem partiu para cima, com bons uppers, conseguiu inibir o jogo amarrado, mas efetivo do wrestler americano, e quase encaixou uma katagatame em pé, bem defendida.

Na sequencia Straus, conseguiu manter a distância, entrar com uma queda e pegar as costas de Marlon, tentando um mata leão, fim de round, Daniel Straus levou a luta na decisão unanime e o GP, faturando US$ 100.000,00



Vale lembrar que o Bellator é transmitido pelo canal Esporte Interativo pela internet, tv a cabo ou parabólica.

Test Time Review #2 - Visions

Aderindo a idéia do Andreh, a qual achei excelente, o Test Time Review, tem como proposta  pegar aquele álbum que já foi lançado há algum tempo, ou ainda, que conhecemos há alguns anos, e fazer um review ou ainda relatar as diferentes impressões desde quando ouvimos pela primeira vez até hoje.

Quando ele postou a estréia com da sessão com o MKII do Masterplan, logo surgiu em minha mente vários álbuns, porém cismei em falar sobre um álbum de um estilo que gosto, sempre gostei, mas qual nunca fui fanático, Power Metal,  trata-se de Visions do Stratovarius.




A Banda

Timo Tolki (Guitarra)
Timo Kotipelto (Vocais)
Jens Johansson (Teclados)
Jari Kainulainen (Baixo)
Jorg Michael (Bateria)



O contexto!


Conheci o álbum em meados de 1997 ou 1998 (não lembro ao certo), bem próximo do lançamento de Visions, ainda adolescente e descobrindo o Heavy Metal, e o chamado Power Metal/Melódico..enfim... pouco importa o rótulo. Vale resslatar que há 15 anos atrás o cenário era bem diferente do que vimos na explosão do estilo entre 2000/2001.

O Melódico ainda era um estilo que caminhava para ascensão, e no mercado fonográfico da época como um todo  não havia esta enxurrada de álbuns lançados todos os meses como vemos hoje em dia. Sendo assim o Stratovarius era visto como uma progressão do que o Helloween, Angra e Yngwei Malmsteen fizeram em seus trabalhos mais melódicos.

Visions abriu espaço para um Power Metal com toques progressivos,  o Statovarius já havia feito isso antes em Episode, incluindo coros e orquestras reais, porém desta vez pode-se ouvir a consolidação de um estilo, composições muito bem elaborada, e principalmente, uma produção dinâmica, cristalina e virtuosa.


As impressões do passado!


Na época, quando ouvi Visions, fiquei impressionado como a produção e a mixagem soavam cristalinas, com timbres bem distintos os instrumentos, bem evidentes, impressionavam  quem começou ouvindo os Keepers do Helloween, Metallica, Maiden, Malmsteen entre outros.

Eu ouvi esse álbum MUITAS vezes, fiquei muito empolgado com a velocidade, melodias, refrães e os vocais de Kotipelto, que na época eram bem lineares, mas que cativou meus ouvidos, talvez a "novidade"não fosse tãão original, mas para quem iniciava a trajetória na música pesada, soava muito forte, com um estilo próprio, e um punhado de excelentes canções.

Por anos Visions foi uma das coisas mais legais que eu ouvi, e com certeza, me cativou!

Como o álbum envelheceu?

A música contida em Visions sobreviveu bem ao tempo, por mais que teclados e guitarras duelando, bumbos duplos, baixo fraseados e vocais bem a frente soem totalmente ultrapassados há uns bons anos, neste álbum, tudo funcionou bem, e o mais importante, venceu o tempo e marcou época.

Talvez a qualidade dos músicos, muito bons por sinal,fez com que o  Stratovarius dessa formação tivesse seu auge neste álbum e com o evidente sucesso da proposta da banda, houve uma explosão do estilo que carregou consigo muitas bandas, levando tal o Power Metal ao esgotamento nos anos seguintes.

Ainda hoje a hard rock Kiss of Judas, as belas melodias de Black Diamond com seus teclados hipnotizantes, o melódico clássico de  Forever Free, lado progressivo de Abyss of your Eyes e a épica Visions e seus 10 minutos conseguiram mostrar que a boa música pode sobreviver ao tempo, e independente do gênero ainda diverte e cativa seu ouvinte.

O mais importante, anos após seu lançamento, é que ainda gosto do álbum, obviamente menos que a 15 anos atrás é verdade, porém os pontos fortes do álbum continuam lá, e acredito que Visions virou uma referência dentro da música pesada.

Entretanto, é evidente que a própria banda virou refém do bom trabalho deste álbum e não conseguiu evoluir muito desde então, ficando presa aos velhos clichês que cansou nosso ouvidos. Porém isso é outra história!

9 de mai de 2012

UFC ON FUEL TV 3 - Previsões


Mais um UFC a caminho, UFC ON FUEL TV 3, dia 15 de Maio, evento intermediário do UFC que com boas lutas vai definir o caminho dos atletas em suas divisões, e claro, garantir muita diversão para os fãs de MMA.

Como fiz no UFC ON FOX 3 do último sábado, estou abrindo o post sobre palpites do card principal do evento, vamos ver quantas irei errar!


Jason MacDonald (25-15-0) x  Tom Lawlor (7-4-0) - Combate da divisão dos pesos médios, lutadores do batalhão intermediário da categoria lutam para sobreviver no evento, e melhor o posicionamento no ranking da divisão. Palpite: Jason MacDonald leva por finalização.


Fabio Maldonado (18-4-0) x Igor Prokarjac (24-8-0) - Uma boa luta dos Meio Pesados, o boxer Brasileiro tem um bom queixo, e golpes potentes, e anda treinando chão no Team Nogueira, já Prokarjac é um lutador versátil em pé e no chão, mas que define muitas lutas por nocaute, bom combate! Palpite: Fabio Maldonado por TKO.


Jeff Hougland (10-4-0) x Yves Jabouin (17-7-0) - Confesso que conheço pouco os dois lutadores pesos galos, mas das lutas que eu vi de Hougland, acredito que seja favorito, mais consistente, e trabalha bem as finalizações. Palpite: Jeff Hougland leva na decisão.


Donald Cerrone (17-4-0) x Jeremy Stephens ( 20-7-0) - Dois bons lutadores da dos pesos leves, Cerrone vinha de uma boa sequencia de vitória até perder para Nate Diaz, e cair alguns degraus na divisão... Stephens por sua vez é um bom lutador, e gosta de trocar golpes em pé. Cerrone é mais completo e tem um bom Muay Thai e um chão afiado. Palpite: Cerrone por TKO.


Amir Sadollah (5-3-0) x Jorge Lopez ( 11-2-0) -  Luta dificil de opiniar, Sadollah ficou conhecido por vencer uma das edições do TUF, e fazer sua carreira somente no UFC, já Lopez tem uma extensa carreira fora do evento, e poucas derrotas..ambos preferem a luta em pé. Palpite: Sadollah ganha na decisão.


Chan Sung Jung (12-3x0) x Dustin Poirier ( 12-1-0) - O main event tem tudo para ser uma grande luta, ambos são completos, o Korian Zombie troca bem, e também tem uma excelente base de chão, Poirier, também é bem versado em pé. mas tem boas finalizações em seu cartel. Luta muito equilibrada, tem tudo para ser um lutão. Palpite: Chan Sung Jung na decisão dos juízes.


Que venha o evento semana que vem!! quem quiser deixar palpites, comente a vontade!

6 de mai de 2012

UFC ON FOX 3 - Uma grande surpresa!

Em mais uma Edição do UFC ON FOX, tivemos uma noite cheia de bons combates, com um card de primeira linha, não faltou emoção para os telespectadores que acompanharam o evento.

Lutas bem casadas, movimentadas e emocionantes fizeram a alegria dos fãs de MMA em New Jersey. Teve de tudo, nocautes, finalizações e decisões difíceis para os juízes laterais!

Lavar Johnson nocauteia Pat Barry

Em um duelo de pesos pesados emocionante, o Octagon tremeu com os golpes de ambos os lutadores, Johnson aproveitou maior envergadura, e com seus potentes cruzados acertava Barry com freqüência, que respondeu bem, e combinou high kicks, low kicks e diretos. O momento crucial da luta, foi quando Pat Barry levou Johnson para o chão, e conseguiu a montada, porém, preferiu a saída para o cem quilos, e quase finalizou o adversário na Americana. Johnson, escapou, levantou, e com uma seqüência de golpes nocauteou Barry.

Johnson aplicando a seqüência que definiu a luta


Alan Belcher quebra a banca de apostas

Na Segunda luta do card principal Alan Belcher, enfrentou o favorito Rosimar Palhares, Toquinho iniciou o combate buscando a queda ecom êxito, colocou Belcher no chão atacando o tornozelo do americano, que apesar de claramente assustado, se defendeu das demais investidas do brasileiro dentre elas uma leg lock e um arm lock.

Em certos momentos,  Toquinho parecia próximo da finalização, mas Belcher, mostrando seu conhecimento de faixa marrom de Jiu Jitsu, se defendeu bem, até conseguir ficar na guarda, e desta posição aplicar um efetivo Ground and Pound.  

Toquinho errou, e não se defendeu adequadamente, não fechando a guarda nem tentando afastar o adversário. Dan Mirgliotta Interrompeu o combate no primeiro round por TKO. Belcher avança na corrida pelo cinturão.

Toquinho atacando o calcanhar de Belcher

Belcher aplicando golpes de dentro da guarda


Koscheck e Hendricks - decisão complicada

Na luta mais dificil para ser julgada, Josh Koscheck e Johny Hendricks fizeram três rounds muito parelhos e dividiram a opinião de todos, no geral Hendricks acertou golpes mais contundentes, deformando a cara de Koscheck, que por sua vez consegiu por duas vezes derruba-lo  e domina-lo no solo.

No primeiro round, Koscheck atacou mais, e aplicou bons golpes, dominando o opontente, na etapa seguinte, Hendricks acertou golpes que o balançaram , sendo um potente overhand e um upper, Koscheck,se recompôs, conseguiu uma queda, e controlou o adversário, porém perdeu o segundo round.

No terceiro round, a luta foi muito equilibrada, Hendricks acertou melhores golpes, Koscheck derrubou, e progrediu no solo na etapa final, conseguindo até bons golpes no chão.  O equilíbrio se refletiu na decisão dos juízes, sendo que Hendricks levou por 2x1 na decisão dividida (29-28, 29-28 e 28-29). Sendo assim ele pode ser um desafiante pelo título na categoria meio médio, após St Pierre e Condit lutarem pela unificação dos cinturões.



Troca franca de golpes!

O potente cruzado de esquerda que abalou Kos!

Diaz confirma favoritismo e finaliza Miller

No main event, tivemos a luta de pesos leves, Nate Diaz x Jim Miller ,  o vencedor avança de forma significativa na corrida pelo cinturão.

 Em um combate movimentado as duas estratégias estavam bem definidas, Diaz, controlando a distância, usando jabs e golpes no corpo de Miller, que por sua vez, procurava no clinche, golpes curtos, cotoveladas e joelhadas.

A luta foi aberta, porém Diaz manteve o controle, e dominou as ações, apesar dos bons golpes de Miller; no chão, Diaz chegou a se perder quando estava por cima, dando as costas para Miller, porém, escapou, e com uma bela raspagem com ganchos, ficou por cima, e se levantou. 

Entretanto com o passar do tempo, Nate passou a dominar a luta de tal forma que ao provocar Miller, fez com que este caísse em seu jogo mental, e aí foi bombardeado com mãos potentes, até que numa entrada de queda desesperada de Miller, deixando o pescoço exposto, Diaz encaixa uma guilhotina, gira, e finaliza com maestria. Fechando o UFC ON FOX 3 de maneira fantástica.

Diaz finalizando na guilhotina


Placar das Previsões: 3 Erros (Lavar Johnson, Alan Belcher, Johny Hendricks) 1 Acerto (Nate Diaz)

5 de mai de 2012

Bellator 67 - Boas lutas no Canadá



Na noite de sexta feira tivemos mais uma edição do Bellator FC, evento desta vez realizado no Canadá, e contou com um bom público, mostrando que o evento está crescendo de maneira sustentável, sólida, sem querer grandes astros, investindo em bons nomes do cenário, e revelando excelentes lutadores.

Os destaques do evento foram as 3 lutas finais, no duelo de pesos pesados , o polonês Demian Grabowski venceu o americano Dave Huckaba, em uma luta movimentada, em 3 rounds com bastante movimentação, porém Grabowski dominou as ações, acertando mais golpes e conseguindo pontuar mais.




Logo em seguida tivemos a melhor luta da noite, valendo uma vaga nas semi finais do torneio dos Meio Médios, o veterano ex- UFC, Ben Saunders enfrentou Bryan Baker em um lutaço!!

Saunders mostrou todo seu arsenal, com bons golpes com seu Muay Thai afiado, enquanto Baker tentava as quedas com seu excelente Wrestling além de faixa preta de Judo.

Em uma das quedas Baker cai na armadilha de Saunders, que encaixa um triângulo justo,  em seguida vai para o arm lock, porém Baker resiste de forma absurda, escapa, e inicia sua reação. Ben Saunders levou o round.

Porém, na sequência, Baker mostra toda sua força e técnica, e simplesmente passa por cima de Saunders, nos dois rounds seguintes, levando a melhor na trocação, franca com bons golpes, quedas, ground n'pound e nas transições do solo, frustrando o adversário.

Ganhou os dois Rounds seguintes, faturando na decisão unânime. Bryan Baker garantiu vaga nas semi finais do torneio.





O main event....bem... o Campeão do peso leve do Bellator Michael Chandler enfrentou Akihiro Gono, lenda do Pride, em uma luta casada, sem valer o cinturão e em 56 segundos...acabou! Vitória tranquila para Chandler!





Lembrando que o canal Esporte Interativo transmite as edições o Bellator às Sextas feiras, pelo You Tube,  Facebook ou pela parabólica, vale a pena conferir!!





3 de mai de 2012

Tapa na Orelha #1

Com  a nova fase (que faaase!) do Its Electric, chegou a hora de inaugurar a sessão Tapa na Orelha, que consiste em uma lista de 5 músicas que sejam ideal para hora do quebra pau, seja nos rolas, fazendo uma luvinha ou mesmo dentro do Cage!

Contando com a colaboração de amigos, vou dedicar um post por semana até o fim deste mês com esse tema.

A primeira lista é do grande brother, chefão do We Burn, Senador, fã de uma boa sonzeira e claro de uma boa luta, mandou uma lista casca grossa! Aproveitem!

#1 - PANTERA - Fucking Hostile






#2 - SLIPKNOT - The Blistes Exists






# 3 - SEPULTURA - Refuse Resist




# 4 - KILLSWITCH ENGAGE - Rose Of Sharyn






#5 PAURA - Reverse the Flow






Faixa Bonus (em Homenagem ao Show dos caras em Santos): 
SUICIDAL TENDENCIES - Gotta Kill Captain Stupid





1 de mai de 2012

Masterplan - MKII (2007) "Test Time Review" #1

Existem álbuns que não resistem ao tempo, aquele disco que você viciou em determinada época, e quando vai re-ouvir, anos depois, ou você ouve com saudosismo, ou você não consegue ouvir! Assim como existem aqueles que você fica anos sem ouvir, e quando ouve novamente, sente aquele mesmo "hype" de quando viciou nele.

Por isso, cá estou eu inaugurando o "TEST TIME REVIEW", que consiste em uma análise de um álbum que já não é novo, mas que pode ter sido ruim na época, mas que ficou bom com o passar do tempo, ou o contrário...

O escolhido para o TEST TIME REVIEW #1 (parece nome de chamada de sorteio em rádio americana, PQP!) foi o terceiro disco da banda germânica MASTERPLAN, intitulado MKII, referência  a segunda formação da banda, algo que influenciou DIRETAMENTE na sonoridade dela.


O material até hoje não é visto com "bons olhos" para os fãs mais puristas, mas é SIM um som autêntico, moderno, mesmo remetendo as características de Power Metal, que não é um gênero dos mais inovadores...

As linhas vocais de Mike DiMeo (ex-Riot) encaixam-se como uma luva na proposta do material, mais melódico (nada a ver com power metal/metal melódico, e sim do vocal ter mais melodia), porém ainda agressivo e rápido! Foi uma ótima escolha de Roland Grapow  preferir um vocal TOTALMENTE diferente do antigo vocalista.

Já a linha instrumental da bateria, me remete a um material já gravado pelo Uli Kusch, porém, regravado pelo Mike Terrana (ex-Rage), que deve ter acrescentado alguma coisa aqui e ali.

O Disco em si (não, não é a nota musical).

Phoenix Rising - Introdução instrumental, que ainda não tinha sido utilizada em nenhum material da banda. Pode assustar alguns, mas mostra bem o que está por vir (vide a linha de cordas e samples no teclado).

Warrior's Cry - Depois daquela intro calma... entra a banda já CHUTANDO TUDO! Extremamente rápida e melódica! Destaque pra base do Grapow, e o Terrana detonando no bumbo duplo. Além do teclado de fundo...  Ah sim,  BAITA solo!

Lost And Gone - Música que dá nome ao EP da banda, e que também teve um clipe gravado. Mostra bem a diferença do material para os demais já lançados da banda.  Axel (tecladista) participa diretamente dela com uma ótima base . Soa meio sombria, com bastante melodia, mas com partes rápidas. E sim, algo que não creio que muita gente tenha percebido, mas tem uma linha de "cravo" na música. Demonstra bem a proposta do álbum.

Keeps Me Burning -  Primeira música que tive contato do novo material, em meados de 2006 (final de 2006), soa como "Heroes" (música do primeiro álbum da banda), acho que devido a batida da bateria. Que ainda assim tem umas partes truncadas com bumbo duplo. DiMeo manda bem nela!

Take Me Over - A intro dela é bem calma com violão, depois passa a BEM pesada com a bateria/guitarra/teclado entrando juntos...  ora bem melódica, ora bem pesada, e com um show de Mike DiMeo. 

I'm Gonna Win - Já disse que gosto de letras positivas? Então...  o teclado se sobressai aqui, provavelmente é uma música do Axel.

Watching The World - Outra que mostra bem o álbum, ora rápido, ora melódico. Nesse caso, com um toque meio sombrio (no seu início).

Call The Gipsy - Tem uma levada mais hard rock, mas com o peso do Masterplan... e um show a parte de Mike Dimeo.

Trust In You - Com um belo começo Vocal/Piano/Bateria, e mais um ótimo trampo do DiMeo nos vocais, aparenta ser uma possível balada, porém, pesada demais pra ser uma. Gosto da carga melódica dela, e das partes truncadas na bateria.

Masterplan - Achamos a minha preferida... ironicamente, é uma música do Uli Kusch (ex-baterista), extremamente rápida, pesada, e truncada. Além de um refrão bem grudento. Ah... e pra não esquecer, mais um show do Mike DiMeo. Aliás, a banda toda se sai bem aqui.

Enemy - Mais uma música mais melódica, não tão rápida quanto a anterior, mas que mantém o a pegada. Ótima letra também.

Heart Of Darkness - Soa como "continuação" de Lost And Gone, é uma música mais triste, melódica, e bem pesada e longa.

*The Master's Voice - Sim, intro instrumental até no EP, de violoncelo/violino, passando por metais ... e coral. Não podia deixar passar o comentário sobre ela: Belíssima.

*Dying Just To Live - Música acústica/elétrica, me lembra "Lord I'm Dying", música de trabalho solo de Roland Grapow. Linda letra, e mais um ótimo trabalho vocal do DiMeo. 

 (*) Músicas lançadas do EP "Lost And Gone" (2007) e "bônus tracks" na versão Russa de MKII.

Passados 5 anos de seu lançamento, MKII continua a ser um "Masterpiece" pra mim. Creio eu, devido a variação do mesmo, e soar diferente de qualquer material da banda. Outra coisa a salientar, é que com esse tempo, dá pra entender muita coisa relacionada a banda/material/época:

Roland Grapow se virou sozinho com a banda, e conseguiu "revelar" um GRANDE material, mesmo tendo que repor peças, e etc. Carregou a responsabilidade da banda pra si, e saiu-se MUITÍSSIMO bem. Não citei tanto a linha dele no review "música a música", mas mostrou um leque impressionante de material. Além da composição, claro.

Axel Mackenhott, acho que foi um dos responsáveis da banda soar mais melódica, conseguiu suprir a lacuna de composição deixada pelo Uli Kusch de forma própria, e autêntica. (Esse fato de surprir composição, foi confirmado pelo Roland Grapow, anos depois).

Mike DiMeo, independentemente dos problemas ao vivo, mostrou MUITA competência no álbum. Encaixou-se PERFEITAMENTE na sonoridade do mesmo. Além do processo de composição que foi parecido com os primeiros: "Estamos com a música pronta, se vira, encaixa a letra e vocal!" (coisa que Roland e Uli fizeram nas composições anteriores). Enfim, uma pena não ter dado certo, mas é responsável por algumas principais características que me fazem gostar do material. Ironicamente, na época, o criticava muito.

P.S.: Pensei que ia sair altas trolladas aqui, mas nem saiu. Na próxima, prometo chutar o pau da barraca!

UFC ON FOX 3 - Previsões


Sábado, dia 5 de Maio tem mais uma edição do UFC ON FOX, e a partir deste evento darei inicio as Previsões dos resultados do card principal.

E  o melhor de tudo, começarei  contar acertos e erros, e divulgarei o meu placar no post seguinte, junto ao review das lutas, (idéia do Fábio, grande brother, que vai vir cornetar por aqui), como bom praticante de  Jiu Jitsu que sou, colocarei meus conhecimentos a prova! (LOL)

Vale resaltar que o card do UFC ON FOX 3 - DIAZ x MILLER  é desafiador com lutas muito bem casadas, tem tudo para fazer New Jersey tremer!

Lavar Johnson (16-5-0)  x Pat Barry (7-4-0) - Duelo de Pesos Pesados, dois atletas técnicamente medianos, e que dificilmente chegarão no top 5 da divisão. Mas ambos possuem muito poder de nocaute, acredito que a luta acabe antes do tempo regulamentar. Previsão: Pat Barry  por Nocaute.

Rousimar "Toquinho" Palhares ( 14-3-0) x Alan Belcher (17-6-0) - Luta antagônica, o clássico Glapper x Striker,  Belcher troca bem em pé, usa bem as mãos, tem bons chutes e joelhadas, além de uma boa guilhotina e um bom nível de chão. Porém Toquinho é um monstro, mestre nas chaves  de pé e joelho, além de um wrestling sinistro. Previsão: Toquinho por finalização.

Josh Koscheck (17-5-0) x Johny Hendricks (12-1-0) - Dois bons wrestlers, Kos, tem mais credenciais, inclusive uma disputa de cinturão, entretanto Hendricks já nocauteou o duro John Fitch, luta dificil, tem tudo para ser amarrada e acredito que vai rolar muito clinche, trocação e dirty boxe. Previsão: Koscheck na decisão dos juízes.


Nate Diaz (15-7-0) x Jim Miller (21-3-0) - Se cartel ganhasse luta, Miller já seria o vencedor, porém Diaz vem em um momento melhor, aliás quem vencer esta luta vai estar a pouco passos da disputa de cinturão dos pesos leves.O combate tem tudo para ser movimentado, com muito chão, dois Faixas Pretas de Jiu Jitsu , e trocação. Porém acredito mais na envergadura e na guarda de Nate. Previsão: Nate Diaz por finalização.


Veremos quantas irei acertar....