30 de jan de 2013

Palpites UFC 156 - Aldo x Edgar



O UFC começou o ano com tudo, e volta a Las Vegas para um dos melhores cards da história recente do evento, colocando frente a frente José Aldo, campeão dos pesos penas contra Frankie Edgar, ex-campeão dos pesos leves, a luta vale o cinturão que está com o brasileiro. Ainda teremos Alistair Overeem, Rashad Evans, Minotouro, Demian Maia e muito mais.

E como não poderia ser diferente vamos aos palpites do card principal, já adianto, tudo pode acontecer neste evento!


Joseph Benavidez (16-3-0) x Ian McCall (11-3-1)

Luta equilibrada nos pesos moscas, Benavidez perdeu para Demetrious Johnson e viu o cinturão escapar, McCall também enfrentou o campeão e perdeu após um empate,  dois ótimos lutadores da divisão dos moscas, mas Benavidez tem mais qualidade, acredito que vencerá dominando McCall com seu wrestling. Palpite: Benavidez vence na decisão.

Demian Maia (17-4-0) x John Fitch (24-4-1)

Uma luta muito interessante, Fitch é um dos recordistas de vitórias do UFC, Demian Maia é um dos maiores finalizadores do evento, em um duelo que tende a se desenvolver em pé e no chão, Maia pode levar vantagem se souber conduzir a luta, Fitch é muito resistente e surpreende pela capacidade de amarrar a luta, combate duríssimo. Palpite: Demian Maia vence.

Alistair Overeem (36-11-0-1) x Antonio Silva  (17-4-0)

Esse combate iria ocorrer no GP dos pesos pesados do Strikeforce, mas Overeem foi para o UFC, Pezão é forte e tem mãos pesadas, Overeem é mais completo, além de ter credenciais de K-1, sabe se virar no chão. O Holandês não assimila bem golpes, e isso pode pesar, mas acredito que vencerá sem grandes dificuldades. Palpite: Overeem vence por nocaute.

Rashad Evans (17-2-1)  x Antonio Rogério Nogueira (20-5-0)

Luta complicadíssima, dois lutadores da elite dos meio pesados, Evans está em um momento melhor, Minotouro vem de vitória sobre Tito Ortiz, mas está parado há mais de um ano. O americano já mostrou que não tem um queixo dos melhores, mas é veloz, tem um ótimo wrestling e troca muito bem, Minotouro boxeia bem, mas tem muitas brechas na defesa e isso pode ser fatal, entretanto se conseguir trabalhar seu Jiu Jitsu pode vencer. Combate díficil de opinar. Palpite: Rashad vence na decisão.

José Aldo (21-1-0) x Frankie Edgar (15-3-1) 

Aldo e Edgar iriam se enfrentar no Brasil, mas um acidente de moto tirou o brasileiro da disputa, em um combate muito aguardado, o campeão dos penas vai enfrentar seu maior desafio, Edgar é resistente, muito rápido e tem um wrestiling de ponta, José Aldo por sua vez é um lutador perigoso e agressivo, com combinações de golpes devastadora vem enfileirando adversários desde o extinto WEC.
A maior complicação é o confronto de estilos, Aldo e Edgar tentarão impor ritmos diferentes, para evitar o wrestling de Edgar, o brasileiro vai ter que usar as mãos e seus chutes certeiros para minar a movimentação do americano. Uma luta sem favoritos. Palpite: José Aldo vence.

28 de jan de 2013

UFC ON FOX 6 - Novos ídolos estão chegando!

O UFC ON FOX 6 foi a Chicago para mais uma noite de lutas no último sábado, 26 de Janeiro, o segundo show do ano teve um card principal empolgante recheado de grandes nomes que podem vir a ser novos astros da companhia.

Grandes lutas levantaram o público e deixaram os telespectadores feliz, por aqui, foi uma reação dos palpites após a surra que levei do UFC ON FX 7!


Ricardo Lamas vence e sobe degraus nos penas, Anthony Pettis impressiona!

Pettis acertando Cerrone
Ricardo Lamas e Erik Koch era uma luta complicada de prever algo, dois lutadores com cartéis, experiência e resultados recentes similares, subiram ao octagon com a missão de avançarem na divisão dos penas.  Após um primeiro round equilibrado, Koch conseguiu uma leve vantagem, essa que foi por água abaixo quando Lamas usou sua agressividade e abriu caminho com golpes duros, terminando a luta com cotoveladas no ground and pound.

Anthony Pettis por sua vez atropelou Donald Cerrone, em uma exibição simplesmente perfeita, Anthony Pettis dominou a luta, trocando bem, usando as mãos com velocidade e chutando a linha de cintura de Cerrone que acuado, pouco fez, Pettis  mandou uma estrela digna de capoeiristas, triscando o queixo de seu adversário. Colocando pressão, Pettis escalou as grades do Octagon desferindo uma plástica joelhada, mais uma vez Cerrone estava perdido, até ser acertado por um chute preciso na costela, caindo e abrindo espaço para Anthony"Showtime"Pettis finalizar com mais golpes no chão, caminhando para a luta pelo título contra Ben Henderson.

Glover Texieira e Demetrious Johnson vencem bem..

Glover Teixeira enfrentou o veterano, ex-campeão do UFC Quinton Rampage Jackson, ambos atravessam momentos distintos, Teixeira busca espaço na elite da estagnada categoria dos Meio Pesados, Rampage está em baixa com Dana White após falar em pouca valorização em relação ao seu trabalho.
Polêmicas a parte, Glover mostrou maturidade e dominou a luta, aceitando a trocação, mas usando bem suas quedas e dominio no solo, Rampage lançou bons golpes e o brasileiro suportou a pressão, porém ficou claro que Glover Teixeira tinha o combate nas mãos e saiu vencedor na decisão dos árbitros.
Glover soube combinar a trocação e o chão

Demetrious Johnson defendeu o cinturão da recém criada cataegoria dos pesos moscas, e em uma luta equilibrada e longa, conseguiu impor seu jogo, esbanjando velocidade e condicionamento físico, John Dodson foi menos efetivo e não conseguiu impor totalmente seu jogo, apesar de um ótimo segundo round. No fim Johnson confirmou o favoritismo e levou a decisão dos juízes, mantendo seu cinturão.


Johnson acertando uma boa joelhada.

Resultado dos palpites: 1 Erro ( Ricardo Lamas)  3 Acertos (Anthony Pettis, Glover Teixeira e Demetrious Johnson)
Placar Geral: 4 Acertos e 5 Erros =  44% de Acerto

24 de jan de 2013

Palpites UFC ON FOX 6 - Johnson vs Dodson





Em um inicio de ano movimentado o UFC vai a Chicago para mais uma edição do UFC ON FOX, desta vez colocando frente a frente o campeão Demetrious Johnson contra John Dodson na categoria dos moscas. Com um bom card o evento promete lutas empolgantes envolvendo grandes nomes da organização. Portanto vamos aos palpites do card principal.

Erik Koch (13-1-0) x Ricardo Lamas (12-2-0)

Uma luta complicada entre dois bons lutadores na categoria peso pena, o equilibrio é a marca do combate, Koch, ambos vem de vitórias, e possuem cartéis bem parecidos, acredito que a maior estatura de Koch possa facilitar sua missão se conseguir controlar o ritmo e a distância. Palpite: Erik Koch vence.

Anthony Pettis (13-2-0) x Donald Cerrone (19-4-0-1)

Esse combate promete! Ambos são lutadores completos, Pettis é conhecido por sua habilidade em pé e desenvoltura no chão, Cerrone também é completo, ambos já disputaram cinturão no WEC, sendo que Pettis destronou Ben Henderson na última edição do show. Quem vencer se aproxima de uma luta pelo cinturão, combate duríssimo de arriscar o resultado. Palpite: Anthony Pettis vence.

Glover Teixeira ( 19-2-0) x Quinton "Rampage" Jackson (32-9-0)

Glover Teixeira vem se destacando na categoria dos Meio Pesados, Rampage já não demonstra o mesmo foco e determinação dos tempos que foi astro do Pride e campeão do UFC, mas é um lutador perigoso, experiente e com grande poder de nocaute. Glover vem mostrando grande forma, completo, pode complicar se conseguir colocar Rampage de costas para o chão. Palpite: Glover vence.

Demetrious Johnson (16-2-0) x John Dodson (15-5-0)

O primero campeão dos pesos moscas Demetrious Johnson vai defender seu cinturão pela primeira vez, Dodson é perigoso, e tem mãos afiadas, Johnson é mais completo e tem um condicionamento físico exemplar, a luta tende a ser longa e isso favorece o campeão. Palpite; Johnson vence.



23 de jan de 2013

Newsted - Metal


Jason Newsted ficou mundialmente conhecido por integrar o Metallica em 1986 após a morte do baixista Cliff Burton, após sair do Metallica em 2001, devido a diferenças musicais e motivos de saúde, o baixista andou por vários projetos e bandas, dentre eles, os canadenses da banda Voi Vod, o projeto Echobrain, Ozzy Osbourne entre outros.

No fim de 2012, Jason Nestwed anunciou a formação de sua banda solo, Newsted, com o próprio no Baixo e Vocais,  recrutando o guitarrista Jessie Farnsworth e o baterista Jesus Mendez Jr., como um trio gravaram o primeiro EP intitulado Metal, pelo selo independente do próprio Jason, a Chophouse Records. 

Lançado em 2013 o EP Metal mostra um power trio afiado, com  influências claras Motorhead, Black Sabbath e Metallica,  ou seja, encontramos uma sonoridade que vai do Stoner Rock ao Thrash Metal. A proposta sonora do Newsted é simples e direta, um som pesado carregado nos grooves e refrães fortes, a produção é de primeira, guitarras bem timbradas, um som seco e pesado na bateria e o baixo preenchendo tudo, adicionando uma grande dose de peso.


O EP com 4 faixas, abre com a porrada Soldierhead, que tem um clipe de divulgação, um Thrash Metal clássico, com riffs cavalgados e baixo no talo junto com a bateria bem direta, com direito as paradinhas típicas do estilo. Os vocais de Newsted são rasgados e com bastante personalidade.


A seqüência vem com a cadenciada Godsnake, carregando a influência de Black Sabbath com riffs e solos soturnos e muito peso despejados pela cozinha. Em King of the Underdogs, temos uma introdução de baixo de Jason Newsted, lembrando alguns de seus momentos no Metallica, o andamento intrincado  juntamente com as trocas de ritmos chamam a atenção, outro petardo, e ao meu ver a melhor faixa do EP.


Skyscraper  começa com um riff digno de Tony Iommi, fácil, simples direto e bem eficiente, aqui a influência de Stoner Metal é clara, andamento arrastado, guitarras a frente e baixo e bateria caprichando no groove, apesar de não ser a faixa mais fraca do álbum, ela está bem posicionada, fechando o EP com contraste de abertura


Metal é um bom recomeço para Jason Newsted e sua turma, e espero que venha um álbum completo, que possa mostrar mais facetas desse projeto, que tem tudo para agradar os fãs de um som pesado e bem tocado.


Formação


Jason Newsted (Baixo e Vocal)

Jessie Farnsworth (Guitarra e Vocal)
Jesus Mendez Jr. (Bateria)

Track List


1 -  Soldierhead

2 -  Godsnake
3 - King Of The Underdogs
4 - Skyscraper

Confiram: Soldierhead

21 de jan de 2013

UFC ON FX 7 - Vitor Belfort atropela Michael Bisping

O UFC ON FX 7 trouxe o retorno da maior organização de MMA do mundo a São Paulo, num sábado a noite tivemos um card mediano, mas com boas lutas.

Entretanto, como veremos a seguir, meus palpites falharam feio, algumas surpresas e resultados polêmicos também ajudaram a derrubar quem vos escreve!

 Espero melhorar nos próximos eventos!!

Thiago Tavares e Milton Viera decepcionaram!
Fim da linha para Thiago Tavares

Milton Vieira era favorito contra o finalista do TUF Brasil Godofredo Pepey, entretanto sua apresentação burocrática complicou sua condição na luta, alternando bons e maus momentos, tomou muita pressão no solo, sendo evolvido pelo Jiu Jitsu solto de Pepey, nem a experiência de Vieira, muito menos a tutela de Murilo Bustamante foram suficientes. Choro a parte, Pepey ganhou numa luta apertada, gerando até uma decisão dividida dos juízes.

Entretanto Thiago Tavares foi o maior perdedor da noite, Nurmagomedov complicou o jogo do brasileiro que foi surpreendido pela velocidade e explosão do Russo, que com um upper devastador calou o Ibirapuera, levando Thiago a lona logo no inicio do primeiro round, completando com mais golpes no chão para fechar a fatura.

Napão vence e Daniel Sarafian não convence...


Napão finalizando Rothwell
Gabriel Napão é uma das maiores incógnitas dos pesos pesados, o mesmo lutador que nocauteou Mirko  Crocop com um High Kick devastador e fez um bom combate pelo título contra Randy Couture, já foi derrotado por lutadores bem inferiores como Brendan Schaub de maneira apática. 

Porém ao enfrentar Ben Rothtwell conseguiu impor seu jogo e usou bem seu Jiu Jitsu, finalizando o gigante americano com uma guilhotina justa após desferir bons golpes, Napão pode voltar a ser lembrado pelo UFC após essa vitória.



CB contra golpeando Sarafian com eficiência

O público e os fãs do MMA esperavam mais de Daniel Sarafian que num misto de arrogância e inexperiência deixou a vitória escapar contra o duro CB Dollaway. Saltitando a todo momento, usando pouca combinações de golpes e chutes giratórios sem qualquer eficiência foi surpreendido pela resistência e perseverança de seu adversário, CB passou apuros no primeiro round  e no inicio segundo,  até que um upper acertou o queixo de Sarafian, numa entrada de queda displicente,  e mudou o curso do combate. 


No terceiro round, CB dominou a primeira metade, e Sarafian com boas raspagens conseguiu chegar nas costas mas pouco fez a partir dali. Resultado, CB Dollaway venceu na decisão dividida dos jurados.


Belfort atropela Bisping!


Belfort definindo o combate

Na luta principal da noite, Vitor Belfort frustrou os planos do inglês Michael Bisping, que em caso de vitória teria sua sonhada luta pelo título, entretanto o brasileiro era um adversário indigesto e perigoso.

Bisping até fez um bom primeiro round, mantendo a distância com Jabs e low kicks, Belfort estava confortável, e com chutes na região da costela foi minando o ímpeto do inglês, até que faltando alguns segundos para o fim do primeiro round, Belfort encaixou um chute alto, e com uma sequencia de golpes quase terminou a luta.


O segundo round foi mais intenso, Bisping tentava manter a estratégia do primeiro round, e Belfort golpeava junto, com um direto de esquerda explodindo no frontal do inglês, Vitor abriu caminho para a vitória, desorientado, Bisping abaixou a guarda, e foi pego com um chute alto (sim, mais um) e desabou, restando ao brasileiro terminar o serviço no chão até a interrupção do árbitro.


Vitor Belfort continua como um dos top 5 dos pesos médios, Bisping volta ao final da fila.


Resultado dos palpites: 4 Erros ( Pepey, Nurmagomedov, Napão e CB Dollaway) 1 Acerto (Vitor Belfort)

Aproveitamento: 20% de Acerto

17 de jan de 2013

Palpites UFC ON FX 7 - Belfort x Bisping



O UFC volta ao Brasil para a primeira edição do ano, tendo como luta principal o confronto de dois atletas da elite da categoria dos médios, Vitor Belfort encara o inglês Michael Bisping, além da estréia de Daniel Sarafian, finalista do TUF Brasil,  que pega CB Dollaway, também pelos pesos médios.

Como é de costume aqui no Its Electric, está aberta a temporada de palpites do card principal!

Godofredo Pepey (8-1-0)  x Milton Vieira (13-7-0)

Luta na categoria dos pesos leves, Pepey finalista do TUF Brasil encara o experiente Milton Vieira, a luta tende a ser equilibrada, mas acredito que a experiência e o jogo mais equilibrado de Vieira vai fazer a diferença, Pepey tem um bom Jiu Jitsu e pode surpreender. Palpite: Milton Vieira vence.

Thiago Tavares (17-4-1) x Khabib Nurmagomedov (18-0-0)

Thiago Tavares está parado há um ano, após lesões, volta ao Brasil e encara o russo, Nurmagomedov, é um lutador que gosta da luta de chão, o que pode favorecer Thiago. Luta muito complicada. Palpite: Thiago Tavares vence.

Gabriel Gonzaga (13-6-0) x Ben Rothwell (32-8-0)

Dois pesos pesados veteranos, Napão já disputou o cinturão dos pesos pesados do UFC, Rothwell é um lutador bem experiente, ambos estão no pelotão intermediário da categoria, acredito que Rothwell tem uma pequena vantagem na luta em pé, o fato de lutar em casa pode motivar Napão. Palpite: Rothwell vence.

CB Dollaway (12-4-0) x Daniel Sarafian (7-2-0)

Daniel Sarafian não disputou a final do TUF Brasil contra Cezar Mutante devido há uma lesão poucos dias antes do combate, CB Dollaway é um lutador mediano, mas pode complicar se manter a luta na longa distância frustrando o brasileiro.  Sarafian tem que usar sua velocidade, potência para reduzir a diferença de envergadura. Palpite: Sarafian vence.

Vitor Belfort (21-10-0) x Michael Bisping (23-4-0)

Dois veteranos em ação, Bisping é subestimado pelo queixo fraco, mas pode complicar em uma luta longa no clinche, Belfort é rápido, explosivo e pode definir a luta em pé e no chão. O inglês sabe trocar, e se movimenta bem, mas até hoje não convenceu contra lutadores condecorados. Essa luta pode ser perigosa para Vitor, se ele não impor seu jogo e fazer o inglês andar para trás. Palpite: Vitor Belfort Vence.

13 de jan de 2013

Strikeforce - O Capítulo Final


O Strikeforce chegou ao seu último evento em Oklahoma City, com um card recheado de bons nomes e boas lutas. A organização californiana fará falta no MMA, lutas bem casadas, mesmo com nomes menos famosos que os do UFC, o Strikeforce montava bons cards, tinha grande audiência e claro ótimos eventos, tanto que foram comprados pela Zuffa em 2011 e sua anexação ao UFC era questão de tempo.

Veremos se o ex -CEO Scott Coker será integrado à grande equipe de executivos da Zuffa.

Porém, o show continua, e as lutas deste Sábado  honraram os mais de 6 anos de existência do Strikeforce.

Roger Gracie e Jacaré finalizam!

Roger Gracie fez sua segunda luta na categoria dos médios do Strikeforce seu adversário Anthony Smith tentou manter a luta em pé a qualquer custo, chegou a vencer o primeiro round, mas no segundo, foi derrubado e finalizado pelo Gracie em um justo katagatame saindo da montada, restou a Smith dar os três tapinhas.

Ronaldo Jacaré, ex-campeão dos médios, voltou ao cage do Strikeforce e enfrentou Ed Herman, lutador emprestado pelo UFC,  o faixa preta evoluiu muito em sua parte em pé e conseguiu controlar Herman a luta inteira, ditando o ritmo na trocação, entrando com quedas e claro, com muita pressão no chão, aos 3 minutos do primeiro round, Jacaré entrou em um double leg, e na transição de guarda passada engatou uma kimura que envergou o braço de Herman, que foi obrigado a desistir, mais uma finalização para o brasileiro.

Tanto Roger Gracie quanto Jacaré provavelmente irão integrar o cast de lutadores do UFC.

  
Roger preparado para finalizar
Jacaré finalizando na Kimura


Noite dos Favoritos: Cormier, Barnett e Mousasi vencem

O duríssimo Gerard Mousasi venceu o vetereno Mike Kyle na categoria dos Meio Pesados, após uma boa troca de golpes, Kyle conseguiu acertar Mousasi, que levou a luta para baixo, e após um efetivo ground and pound da  meia guarda, pegou as costas e finalizou no Mata Leão no primeiro round.

Josh Barnett, finalista do GP dos Pesados do Strikeforce voltou ao evento e enfrentou o inexpressivo Nandor Guelmino, e não teve muito trabalho ao derrubar, montar e pegar o adversário com um Katagatame.

O vencedor do GP dos Pesados, Daniel Cormier também pegou um adversário mediano, Dion Staring, holandês que enfrentou Minotouro aqui no Brasil em uma das edições do Jungle Fight, Staring foi presa fácil para Cormier, que usou seu wrestling com eficiência derrubou e castigou o adversário no Ground And Pound, até que no segundo round o árbitro John McCarthy interrompeu o combate.

Cormier dominou a luta!

Nate Marquardt perde seu cinturão para Tarec Saffiedine

O campeão dos Pesos Meio Médios Nate Marquardt enfrentou o belga Tarec Saffiedine na defesa do título da categoria, em uma batalha de 5 Rounds, Nate até conseguiu fazer dois bons rounds iniciais, mas a estratégia do kickboxer belga prevaleceu, com uma defesa de quedas em dia, e golpes precisos, Tarec Saffiedine frustrou Marquardt, que tentava combinar golpes em pé com entrada para quedas.

 O desafiante minou a perna esquerda de Marquardt com low kicks precisos nos contra golpes, aliados a bom jabs, acabou com a movimentação do campeão. A estratégia deu certo, Saffiedine conseguiu impor seu jogo e no quinto round conseguiu a queda e terminou a luta por cima, sendo o último detentor do cinturão dos Meio Médios do Strikeforce.


Pois é o fim do Strikeforce provavelmente vai levar muitos lutadores da organização ao UFC, e esperamos que possamos ver bons combates com os bons atletas que estarão por lá!



11 de jan de 2013

Dias de Luta #1 - Um novo ano, velhos hábitos



Treinar Jiu Jitsu é o meu passa tempo predileto, sou um praticante viciado da modalidade há quase 8 anos e já não consigo imaginar como seria viver sem essa arte marcial que é uma filosofia de vida.

Sendo assim, faz  tempo que gostaria de escrever um pouco sobre isso por aqui, falar um pouco sobre a vida de atleta amador, em tom bem pessoal e descontraído, sem fugir de um dos temas do Its Electric, as lutas.A idéia dessa série de posts é compartilhar um pouco do desafio diário de quem treina sem ganhar nada em termos financeiros,  mas sim por algo a mais: o desafio de se testar, de dar cada passo evolutivo rumo ao auto conhecimento.

Pois bem, gostaria de estrear essa sessão falando um pouco sobre a motivação de superar os próprios limites. É sabido que o Jiu Jitsu é uma modalidade de evolução gradual, hora rápida, hora lenta, hora praticamente inexistente, meses e meses treinando sem grandes resultados aparentes até atingir o próximo estágio, este que vai além de graduações ou campeonatos, mais relacionados ao domínio sobre a arte em si, milenar, com uma origem impensável e um renascimento no ocidente mais improvável que sua própria criação.

Já batendo na porta dos 30, eu comecei a aprender sobre o tal conceito de arte suave, tão suave que após 8 anos já me deu boas lesões, mas muito mais que isso me ensinou sobre meus instintos e como domá-los. Talvez hoje, no ciclo final da faixa roxa, eu comecei a aprender Jiu Jitsu, e isso me motiva a cada treino tentar aprender, achar mais fragmentos deste enigma que constitui essa arte.

Com o fim da primeira semana de treinos de 2013, continuo treinando muito, mas vejo que o caminho rumo a faixa marrom é mais árduo do que eu podia imaginar, qualidade e quantidade de treino sempre caminham juntas, ainda mais quando o que é preciso aprender é detalhado, quase invisível e mesmo assim acaba te deixando  anos luz de ser tecnicamente tão bom quanto os outros mais graduados que você.

Enfim, um novo ano, com velhos hábitos de treinar toda a semana rumo a evolução constante!



4 de jan de 2013

Accept - Stalingrad



O Accept retornou muito bem em 2010 com Blood Of The Nations, contando com Mark Tornillo nos vocais, lançou um álbum consistente e saiu em um tour mundial, fãs e crítica aclamaram o retorno de um dos maiores ícones do Metal Mundial.

Pois bem, em 2012 a banda soltou mais um álbum de estúdio, Stalingrad, que narra a épica batalha de Stalingrado na Segunda Guerra Mundial, clichê para uma banda de Metal não? Pode até ser, mas não para o Accept, um dos expoentes do estilo.

A Produção a cargo de Andy Sneap, é excelente, equilibrando os instrumentos e deixando o som encorpado, pesado, sem soar sujo, uma receita tradicional que casa muito bem com o estilo da banda, esta aliás está na ponta dos cascos.  Udo Dirkschneider deve estar com inveja dos ex-companheiros, que atingiram um resultado excepcional.

Mark Tornillo tem uma voz que se encaixa perfeitamente com o Accept,  as guitarras de Wolf Hoffmann e Herman Frank aparecem muito bem, melodias cativantes, riffs e solos que impressionam os fãs mais exigentes, Peter Baltes vem com linhas de baixo  melodiosas e marcantes, sua marca registrada desde os primórdios da banda, Stefan Schwarzmann, leva bem a bateria reta e marcada, anotando pancadas firmes.

O maior mérito de Stalingrad é conseguir atualizar seu Metal Tradicional sem perder suas características, ou seja, aliar a melodias clássicas, músicas cadenciadas e refrães fáceis, com peso, vocais rasgados e velocidade, esses contrastes tornam a audição prazerosa e cativante.

Hang, Down and Quartered é uma pancada que abre o álbum, peso, velocidade e a combinação dos vocais rasgados de Tornillo com o coro no refrão, ótima abertura. Na sequência vem Stalingrad, que começa com um solo característico de Hoffmann logo de cara, numa pegada mid tempo, com um tom épico digna de um álbum conceitual como esse.

As pancadas  Flash of Bang Time e Revolution acordam o ouvinte com a fúria dos vocais de Tornillo, e as guitarras de Wolf Hoffman e Herman Frank cortando nossos ouvidos, Twist Of Fate é um show a parte, as melodias remetem diretamente ao clássico álbum Balls To The Wall, alternando momentos lentos com um refrão explosivo, aqui o baixo de Peter Baltes fala alto com suas melodias cativantes, grande perfomance da banda, Tornillo também manda bem na interpretação, uma das melhores músicas do álbum.

Ainda vale destacar a pesada The Quick and The Dead e a épica The Galley que em meio aos seus 7 minutos fecha o álbum com maestria, começa pesada e cadenciada e termina melancólica com um trabalho sensacional de Wolf Hoffman explorando as melodias de música clássica de sua guitarra.

Stalingrad figura tranquilamente entre os melhores álbuns da banda, não deve nada a clássicos como Restless and Wild, Balls To The Wall e Metal Heart e pelo visto quando a banda voltou com Blood Of The Nations, iniciou uma nova era clássica em sua discografia. Como é bom ter o Accept de volta em grande forma!


                                        

A Banda:

Mark Tornillo (Vocais)
Wolf Hoffmann (Guitarra)
Herman Frank (Guitarra)
Peter Baltes (Baixo)
Stefan Schwarzmann (Bateria)

Track List (Versão vendida no iTunes)

1 - Hang, Down and Quartered
2 - Stalingrad
3 - Hellfire
4 - Flash To Bang Time
5 - Shadow Soldiers
6 - Revolution
7 - Against The World
8 - Twist Of Fate
9 - The Quick and The Dead
10 - Never Forget (Bonus Track)
11 - The Galley