12 de mai de 2013

The New Black - III: Cut Loose




Nota: 7

O que aconteceria se misturassem num liqüidificador musical Thin Lizzy, Black Label Society com alguns toques de Motorhead e algo do Anthrax da fase John Bush? Provavelmente algo interessante, e essa mistura existe, os alemães do The New Black conseguem condensar todas essas influências com muita personalidade.

A banda estreou em 2009 com  The New Black, ganhou mais destaque com o II:Better In Black de 2011 (meu álbum predileto deles) e aparece agora em 2013 com III: Cut Loose, a veia Rock' n' Roll dos caras vai agradar quem procura uma sonoridade simples e direta, combinando Hard Rock e Heavy Metal sem se preocupar em revolucionar o estilo, mas sim soar autêntico e verdadeiro.

Essa espontaneidade atrai a atenção e faz com que o The New Black ganhe contornos bem peculiares, o vocal de Fludid é rouco e estiloso, lembrando Zakk Wylde e algo de John Bush. As guitarras da dupla Christof Leim e Fabian Schwarz caminham diretamente para o som do Thin Lizzy nas harmonias dobradas  e solos, ainda contando com a adição de riffs mais pesados. A cozinha formada pelo baixista Günt Auschrat e o baterista Chris Weiss é sólida e marcante, se destacando pelo peso e ritmo que imprimem durante o album.

Qual seria o diferencial da banda? Porque ela chama a  atenção? Certamente por ter como objetivo divertir o ouvinte tocando Hard Rock, cadenciando ou acelerando quando preciso, colocando peso ou suavizando quando as músicas pedem, não espere epopéias progressivas ou experimentos com timbres e instrumentos, e sim uma banda sólida, competente que sabe bem o que quer.

Impossível não se empolgar com o refrão fácil de Count Me In, que foi single e primeiro clipe lançado, Cut Loose facilmente estaria em um album do Thin Lizzy, o grande trabalho do vocalista Fludid é o destaque, junto com um solo de gaita muito legal combinado com uma bateria pulsante!

Any Color You Like (As long as it's Black) tem uma letra bem sacada e uma pegada Hard Rock, cadenciada amparada por um grande refrão, diversão pura, som tipico para quem gosta de estradas. Not Quite That Simple vem pesada com um pé no acelerador, puxadas pelas guitarras da dupla Leim/Schawrz, numa bela sequencia de solos.

O groove do baixo de 
Günt Auschrat comanda  Sharkpool de maneira  contagiante, aqui a influência de Anthrax (fase John Bush) é lantente na voz de Fludid. A boa mistura de guitarras acústicas e bateria feroz de The Unexpected Truth chama atenção, assim como a a semi balada One Thing I Know quebrando o ritmo e trazendo diversidade essencial para um bom álbum!

Se você gosta de Hard Rock, guitarras dobradas e uma boa dose de peso e diversão, ouçam o quinteto alemão The New Black, recomendado para quem quer ouvir algo direto, honesto e muito divertido!

Cout Me In



Sharkpool




III: Cut Loose (2013)

01. Innocence & Time
02. Count Me In 
03. Muzzle & Blinkers 
04. Superhuman Mission 
05. Cut Loose 
06. Any Colour You Like (As Long As It's Black) 
07. Burning D 
08. Not Quite That Simple 
09. Sharkpool 
10. The Unexpected Truth 
11. One Thing I Know 
12. Antidote

13. Stuck (Acoustic) - Bonus Track

*Você pode comprar o álbum via iTunes com a faixa Bonus

A Banda 

Christof Leim - Guitarra
Fabian Schwarz - Guitarra
Fludid - vocais
Günt Auschrat - Baixo
Chris Weiss - Bateria

Postar um comentário