10 de dez de 2015

Its Electric Recomenda: Discos Para Curtir #5

O mais legal do advento da internet e consequentemente dos blogs e redes sociais é poder compartilhar informações com um número muito grande de pessoas, e isso é o que me motiva a manter um blog.  Selecionei alguns discos mais voltados para o Hard Rock e Heavy Metal, no qual os guitarristas exercem uma função central dentro das composições.

Com esse espirito chega o quinto post da série discos para curtir, uma pequena seleção de discos para você conhecer, relembrar, curtir ou descer a lenha!

Adrenaline Mob - Omertá  (2012)




Quando o Adrenaline Mob foi anunciado todos conheciam a banda pelo fato do vocalista Russell Allen (Symphony X) e o baterista Mike Portnoy (ex- Dream Theater) serem os mentores de tudo, porém o então quase desconhecido guitarrista Mike Orlando aparece bem, sendo o motor nos arranjos, riffs e solos, o debut dos caras foi aclamado e chamou muita atenção. Destaques: Psychosane, Indifferent, Feelin Me e Freight Train 


Indifferent



Axel Rudi Pell - The Masquerade Ball (2000)




Sim, o ARP pode soar muitas vezes repetitivo, ou ainda ser uma espécie de Rainbow mais pesado, mas é inegável que quando o guitarrista alemão acerta a mão o resultado é excelente, The Masquerade Ball é um disco épico, e contagiante, o habilidoso guitarrista ainda conta com o ótimo John Gioeli nos vocais (na época em seu segundo disco com a banda) e Mike Terrana estreando na bateria. Clássico. Destaques: Earls Of Black, Voodoo Nights, Masquerade Ball e Tear Down The Walls.



Voodoo Nights


Dio - Lockup The Wolves (1990)




Ronnie James Dio já havia se consolidado como artista solo atingindo grande público e grandes vendagens em seus quatro primeiros discos, porém a mudança no cenário musical e troca de integrantes trouxe uma nova abordagem ao som da banda, Ronnie recrutou o jovem guitarrista Rowan Robertson de 17 anos e iniciou um novo e breve ciclo. 
Com um estilo virtuoso e de técnica impar, o então garoto impressionou no disco recheado de influências de Black Sabbath, uma pena que Lockup The Wolves não teve um sucessor com  a mesma formação. Destaques: Wild One, Born On The Sun, Lockup The Wolves e My Eyes.




Yngwei J Malmsteen's Rising Force - The Odyssey (1988)




Mais um guitarrista e protagonista, Malmsteen é amado e odiado, mas seu talento é inegável e seus primeiros trabalhos são ótimos, The Odyssey, quarto disco solo do sueco é uma mistura interessante de Heavy Metal Neoclássico com Hard Rock oitentista, Joe Lynn Turner assume os microfones, Jens Johansson os teclados e Anders Johansson na bateria, um timaço. Destaques: Rising Force, Dreaming (Tell Me), Riot In The Dungeons e Krakatau (Instrumental).


Rising Force



Postar um comentário