6 de mar de 2015

Enforcer - From Beyond




Nota: 8,00

O Heavy Metal como qualquer outro estilo musical tem períodos de predominâncias de tendências sonoras, e atualmente a avalanche de bandas de Groove, Stoner e Sludge Metal e o tal Djent predominam em parte do globo, principalmente nos Estados Unidos, e em outras partes o Heavy Metal feito na NWOBHM renasceu, tanto no som quanto no visual, encartes e capas, e capitaneando esse movimento temos os suecos do  Enforcer, que ao lado dos canadenses do  Skull Fist são as grandes promessas do estilo para o futuro.

Nesse novo registro o Enforcer tem a dura missão de superar o empolgante e explosivo Death By Fire (2013), e apesar de diferenças sutis percebemos que From Beyond cumpre sua missão ao soar mais encorpado e equilibrado, um grande passo no amadurecimento da banda.

Não esperem aqui novidades dentro do que se fez no Heavy metal em seus 40 anos, mas sim composições feitas sob medida para quem gosta de um som melodioso, intenso, pesado e com uma avalanche de guitarras da dupla Olof Wikstrand, que também assume os vocais, e Joseph Tholl.

O disco começa com a veloz e proto Thrash Destroyer, um belo tapa na orelha que é sucedida pela ótima Undying Evil, aqui notamos a evolução nos arranjos do Enforcer, um junção de Accept da fase Metal Heart com o Metallica do Kill'em All. 

Apesar da produção com a cara dos anos 80 tudo está muito bem mixado, o baixo de Tobias Lindqvis se destaca no comando da faixa título From Beyond, que tem nas suaves mudanças de andamento sua maior virtude. A essa altura o atual trabalho já se distanciou bastante de Death By Fire, apesar da proposta similar em termos de estética, One With Fire é um tema mid-tempo que poderia estar em qualquer disco do saudoso Riot.

Below The Slumber apresenta um Enforcer mais ambicioso em seus mais de  6 minutos,  os vocais de Olof Wikstrand se aproxima de Joe Elliot do Deff Leppard, as guitarras de destacam com o final apoteótico. A melhor faixa do disco. 

Como manda a tradição, Hungry They Will Come é uma faixa instrumental aos moldes da NWOBHM, com ótimos riffs e melodias das guitarras, vale destacar o batera Jonas Wikstrand que desce o braço. Banshee evoca uma pegada acelerada, com uma ótima paradinha no refrão, já em Farewell notamos a melhora nos arranjos com uma intro acústica seguida por um ótimo solo seguida de uma pegada devastadora, eles sabem como soar empolgantes, outro momento grandioso.

Para fechar o disco, Hell Will Follow escancara a influência do Metallica dos primóridos, inclusive nos vocais gritados de Olof Wikstrand e nas batidas secas de Jonas Wikistrand, os harmônicos no baixo foram muito bem colocados, Mask Of Red Death encerra o trabalho de forma cadenciada e recheada de guitarras, lembrando em alguns momentos o Mercyful Fate do inicio da carreira.

O Enforcer segue sua proposta de maneira firme e convicta, se por um lado ainda exagera em soar extremamente oitentista, por outro lado conseguiu resgatar melodias que empolgam, linhas vocais marcantes e guitarras em profusão. 


São músicos competentes que sabem exatamente onde querem chegar, o Enforcer demonstrou um salto tremendo em From Beyond e pode conquistar ainda mais, a evolução é visível e constante.



 Destroyer




From Beyond (2015)



 
A Banda

Olof Wikstrand (Vocal e Guitarras)
Jonas Wikistrand (Bateria)

Joseph Tholl (Guitarra)
Tobias Lindqvis (Baixo)

Postar um comentário