30 de nov de 2014

Megadeth: 10 grandes músicas da era Shawn Drover e Chris Broderick

Da esquerda para direita, Ellefson, Mustaine, Drover e Broderick


Essa semana os fãs do Megadeth foram surpreendidos pelas notícias quase que simultâneas das saídas de Chris Broderick (Guitarra,  2008-2014) e Shawn Drover (Bateria, 2004-2014), o núcleo aparentemente estável se desfez e agora a banda de Dave Mustaine inicia a busca de novos membros, vale lembrar que David Ellefson retornou em 2010.

Aproveitando esse fato, fiz uma breve análise do legado de cada um, Shawn Drover é o baterista que ficou mais tempo com a banda, participou da tour da divulgação do disco The System Has Failed em 2004, em estúdio gravou United Abominations (2007), Endgame (2009), Thriteen (2011) e Super Collider (2013).

Drover nunca foi uma unanimidade entre os fãs, ficando à sombra de Nick Menza que chegou  retornar em 2004 mas não emplacou, com um estilo mais reto e seco se adaptou bem ao estilo das composições dessa fase mais recente.

Chris Broderick, substituiu o irmão de Shawn Drover, Glen Drover, na guitarra na derradeira perna da tour de United Abominations, dotado de uma técnica refinada, timbres pesados e velocidade, Broderick é visto como um dos melhores instrumentistas que passaram pelo Megadeth e rivaliza com Marty Friedman o título de melhor guitarrista que passou pela banda. Gravou os discos  de estúdio Endgame (2009),  Thriteen (2011) e Super Collider (2013).

Ambos integraram o Megadeth no período da aclamada tour do Big 4 Of Thrash Metal ao lado de Anthrax, Slayer e Metallica.

Fiz uma seleção de grandes momentos dos álbuns que ao menos um dos dois estavam presentes, uma vez que em  United Abominations, Chris não integrava a banda.


#10 - Built For War (Super Collider)

Começamos pelo final da jornada dos dois músicos, Super Collider é um disco razoável que falhou ao dar continuidade a ótima série iniciada em 2007, mas tem seus bons momentos, Built For War é um deles, furiosa, com uma levada de batera insana, harmonias de guitarras bem sacadas e grandes solos.





#9 - Fast Lane (Thirteen)

Esta é uma grande música do disco que marcou o retorno de Dave Ellefson para o Megadeth, o encontro da pegada mais pesada dos anos 80 com melodias da grande fase dos anos 90, Fast Lane é um bom resumo da versatilidade de Dave Mustaine como compositor, vale ressaltar as guitarras matadoras da dupla Mustaine/Broderick.





#8 - Dialectic Chaos (Endgame)

O melhor registro da fase recente do Megadeth, Endgame poderia ter todas as músicas nessa lista, um dos maiores discos do grupo, a instrumental Dialectic Chaos é o símbolo da qualidade musical da turma de Mustaine nessa fase, guitarras e mais guitarras explodindo nossos ouvidos.





#7 -  Public Enemy No. 1 (Thirteen)

Outra grande música, poderia facilmente entrar em Countdown To Extincion, bons riffs, solos inspirados, refrão fácil e cativante. Mais um acerto para a turma de Dave Mustaine.




#6 -  The Hardest Part of Letting Go... Sealed With a Kiss  (Endgame)

Uma grande balada épica deste clássico, vale ressaltar o grande arranjo de guitarras de Broderick, que além de tecnicamente impecável mostra sensibilidade e talento. As guitarras de Mustaine e Broderick se completam em grande estilo.






#5 - Play For Blood (United Abominations)

A  intrincada e recheada de groove Play For Blood, tem uma levada de bateria sensacional, grande trabalho dos bumbos e no andamento complexo, ótima música, boa atuação da banda como um todo.






#4 - Head Crusher (Endgame)

Uma das primeiras músicas do já clássico Endgame, evocando os tempos de Peace Sells e So For Far, So Good, So What! Head Crusher é um ataque de guitarras furisosos, mostrando a velocidade e qualidade da digitação das notas de Broderick. Uma pedrada.





#3 - Sleepwalker (United Abominations)



Justiça seja feita, United Abominations é um grande disco, apesar de Chris Broderick não o ter gravado, Glen Drover faz um bom trabalho nas guitarras, assim como Shawn, que entregou uma perfomance sólida com suas batidas secas e seus bumbos bem presentes. Uma grande canção.





#2 - Sudden Death - (Thirteen) 

Sonzeira, mais um som que remete a Peace Sells, aqui Shawn Drover mostra força ao destruir sua bateria com uma levada demolidora, uma grande atuação ao lado de Ellefson que adiciona muito peso no baixo. Mais uma vez Mustaine e Broderick incendeiam tudo com suas guitarras.





# 1-  Endgame (Endgame)

Não podia ser diferente o melhor disco do Megadeth desde Countdown To Extintion iria ter uma faixa que encabeçaria a lista, e Endgame, é um petardo que honra as tradições do mega clássico Rust In Peace. Arranjos complexos, andamentos variados, e guitarras, guitarras e mais guitarras, a sequencia de solos na faixa título é  de tirar o folêgo!




Infelizmente a jornada de Chris Broderick e Shawn Drover no Megadeth chegou ao fim, mas o legado de ambos na história da banda de Dave Mustaine ficou marcado como um dos bons momentos desse gigante do Heavy Metal.

Aproveitem!
Postar um comentário