31 de dez de 2012

Os melhores álbuns de Rock/Metal de 2012 #2

Enfim, nesse ano não seria só o Julião que iria postar "Melhores do Ano"... como tem mais uma pessoa falando sobre música aqui ... (se bem que tá faltando o Rodrigo postar um top dele também ...)

O ano foi movimentado, com grandes lançamentos de diferentes estilos, uma baita safra. Acho que a última assim, foi a de 2009. Seguirei o padrão de review adotado pelo Julio, porém, o critério de "avaliação" é diferente. Vocês perceberão o "contraste".

Ouvi vários álbuns lançados esse ano (hahahaha, olha o motivo do atraso do post ...), então pude escolher com convicção, apesar de algumas mudanças de ordem, durante as audições.

Sem enrolação, vamos ao TOP10 de 2012!


#10 Distorted Harmony - Utopia

Você deve tá se perguntando, que raios de banda é essa? Eu explico: Distorted Harmony é uma banda de Prog Metal oriunda de Israel (sim, Israel), disponibilizaram o disco para download começo do ano, e estão conseguindo fazer shows e divulgar seu trabalho. É uma banda nova, com músicos novos, porém, aparentemente experientes, porque o som da banda é MEGA complexo. Baita trampo, principalmente por ser o primeiro trabalho dos caras. Destaques para: "Kono Yume", "Breathe" e "Utopia".


#09 Flying Colors - Flying Colors

Mais Prog aqui! (É, esse ano eu ouvi demais trabalhos progressivos). Nos últimos anos, está havendo uma tendência de Supergroups (Black Country Communion, Chickenfoot, Velvet Revolver, YOSO e muitos outros), E nessa super banda, há ninguém menos que Mike Portnoy, Steve Morse e seu fiel escudeiro Dave LaRue, Neal Morse, além disso conta com o talentoso vocalista Casey McPherson. A banda mescla várias características dos músicos envolvidos, mas de forma mais acessível, soando até POP. Ótimas melodias, variação de sons, ótimos arranjos, e boas letras (Neal Morse escrevendo manda MUITO bem!).  Destaques para: "The Storm", "All Falls Down" e o baita som progressivo de "Infinite Fire".


 #08 Mark Knopfler - Privateering

Falar bem do guitarrista/vocalista do Dire Straits é chover no molhado. Porém, o que não é todo mundo que tem conhecimento que sua carreira solo é MUITO sólida, na minha opinião, é tão boa quanto a famosa banda dele. Nesse último disco, ele volta a mesclar três estilos: Folk, Country e Blues, tocando vários intrumentos (não todos), e cantando. Se você curte algum desses, ou os três estilos, sinta-se obrigado a conferir esse disco DUPLO. Sim, é duplo. Tem que ter culhões para lançar um disco duplo de inéditas nos dias de hoje. Destaques para: "Privateering", a bluesy "Hot Or What" e "Seattle". Outro destaque são para as melodias e os arranjos... Knopfler é GÊNIO.


#07 Marillion - Sounds That Can't Be Made

Se você deixou de ouvir Marillion por causa da saída do Fish... você está perdendo uma banda com som já desenvolvido, e próprio. A banda é sólida, funciona bem, e Steve Rogarth manda bem, desde 1989.

Quando soube do lançamento do disco novo, não pensei 2x em conferir e NOSSA! Se você curte um som pra você por o fone no ouvido e relaxar, viajar... achou O disco para isso. Soando moderna, misturando sintetizadores/samples, com orquestra de cordas, a baita linha de guitarra de Steve Rothery, por sinal, os solos dele estão SENSACIONAIS, você viaja com facilidade e esquece do que tá rolando no mundo além você e seu fone de ouvido. Discaço, e uma grata surpresa. Destaques para: "Gaza" (quando você consegue ouvir uma música de 17 minutos, seguidamente, significa que ela é boa, né?), "Sounds That Can't Be Made" e "The Sky Above The Rain".


  #06 Testament - Dark Roots Of Earth

Um disco de Thrash Metal no meu top 10? Pois é... eu que já não costumo ouvir muito o estilo, não consigo deixar de conferir o trabalho dos caras da California. E não me surpreendi (no melhor sentido da palavra), Testament é uma das poucas bandas do estilo que mantém o nível de seu trabalho. Ainda mais depois de tudo que aconteceu com Chuck Billy e sua doença.

Sobre o disco em si, porrada do começo ao fim, covers, e até uma "semi-balada". Destaques para: "True American Hate", "Native Blood" e "Rise Up". 

Interessou mais sobre o disco? Mais detalhes na resenha do Julio clicando AQUI.


#05 Adrenaline Mob - Omertá

Olha o Portnoy de novo no top 10 ... ! Ironicamente com mais outra superbanda (é, depois que ele saiu do DT, resolveu tocar com os melhores MESMO!). Omertá é o primeiro disco da banda que ainda possui como integrantes o vocalista do Symphony X, Russel Allen. Você vê o nome dos dois envolvidos e pensa: "Ah, super banda de Metal Progressivo!"... Mas não é, a banda soa como valvula de escape de seus integrantes, é um som direto, cru, e porrada seca, sem firulas. Baita disco de Heavy Metal. Destaques para: "Psychosane", "All On The Line" e "Freight Train".


#04 Black Country Communion - Afterglow

É, eu não resisto a superbandas, mais uma aqui ... Sempre quando tem grandes músicos envolvidos, eu procuro ouvir, mas essa banda, já está no seu terceiro disco! Após um DVD/disco ao vivo, a banda soltou seu terceiro petardo com uma proposta ... "diferente", mas não distante dos 2 primeiros discos. Ora mais direto, ora mesclando com progressivo, a banda passeia pelas principais características de seus integrantes, da linha de guitarra bluesy e versátil de Bonamassa, aos vocais (desta vez, meio tímidos/contidos) de Glenn Hughes e seu baixo MEGA presente. A produção deixa um pouco a desejar (levo a crer que é proposital, já que o "2", segundo disco, tem produção parecida, com um som mais amarrado). Ainda assim não tira o brilho do disco. Destaques para: "Cry Freedom", "Confessor" e "Common Man".


#03 Herman Frank - Right In The Guts

Se você já é leitor do "IT'S ELECTRIC" deve reconhecer esse disco, sim, eu fiz review dele. Pra mim, a surpresa do ano! Heavy Metal Tradicional, direto e sem frescuras. Um baita vocal, e bom ... o Sr. Herman Frank é um riffmaker MONSTRO, acertou nos riffs, no peso, nos solos... Destaques para: "Roaring Thunder", "Right In The Guts" e "Falling To Pieces". Você confere o review completo dele AQUI.


#02 Slash - Apocalyptic Love

Ao contrário do seu primeiro disco, que contava com vários vocalistas, e participações especiais (ou seja, parecendo projeto), o Sr. Saul Hudson (mais conhecido como Slash), lançou um PUTA material que soa como uma banda, acho que esse um fato a salutar e que agrega valor ao disco. Sobre o som em si... se você conhece o material dele, pós Guns N' Roses, ou até mesmo do Guns, irá reconhecer suas principais características nesse trabalho. Outro destaque IMPORTANTÍSSIMO é o trabalho, seja compondo, base ou mesmo cantando do Sr. Myles Kennedy. Parece que a dupla deu certo, e ficamos no aguardo de mais um disco com eles... (Se sair Alter Bridge e Slash ano que vem ... provavelmente estarão no próximo TOP10). Destaques para: "You're A Lie", "Far And Away" e "Anastasia". Opa, esse eu fiz review também, vejam AQUI.


#01 Rush - Clockwork Angels

Desde seu lançamento, e a primeira vez que ouvi esse disco, eu já pensei: "É esse!". O power trio canadense realmente NÃO SABE brincar. Soltou um material monstro, que na minha visão (ou audição...) é uma mescla da parte lírica progressiva, com temática, sequência, continuidade, conhecido nos materiais da banda após a entrada de Peart, nos anos 70 com a sonoridade mais direta, concisa dos materiais noventistas da banda. O resultado? SURPREENDENTE!

Além disso, é um disco variado, mas com peso, identidade. Arranjos surpreendentes (Rush? Arranjos? Redundante isso).

Outra surpresa, a presença de cordas em algumas músicas... Os caras sabem trabalhar harmonia, e passeiam pela música que mesmo compuseram. Peart, seguro, Lifeson, preciso, e Geddy Lee com um baixo absurdamente alto.

Enfim, é um material marcante (mais um da banda). Consegue te fazer viajar, sentir um feeling que só quem aprecia o som da banda canadense conhece. E se você não conhece muito a banda, é uma boa pedida pra começar. Merece, sem dúvida esse TOP1, e quem sabe um review. Destaques: "Caravan", "Headlong Flight" e "The Garden" (pra essa música é necessário parênteses! Alex Lifeson ABUSOU de sua precisão no solo, acompanha o "mood" da música e a complementa, se distancia da linha de cordas, e tem uma melodia "simples". É algo cirúrgico, genial... BRAVO!).

____

2013 tá chegando (é, eu demorei memso pra postar esse TOP hein?), e o ano tá  prometendo uma safra tão boa quanto a desse ano. Circle II Circle, Masterplan, Queensryche, Alter Bridge, além de outros ... Além disso, o blog está com novos planos para o ano vindouro, nos aguradem!

Em nome da Equipe (Equipe?) do IT'S ELECTRIC desejamos um ano novo cheio de conquistas e muita MÚSICA!
Postar um comentário