7 de mai de 2014

Noturnall - Noturnall





Nota: 9,00

Experiência e ousadia, duas palavras que me vieram a mente quando ouvi o debut auto intitulado do Noturnall, a junção repentina de membros do Shaman, com Aquiles Priester na bateria pegou muitos de surpresa. 

Músicos com boa rodagem na cena metal, oriundos do Power Metal,  e produzidos por Russel Allen (Symphony X e  Adrenaline Mob), iriam fatalmente convergir para o estilo citado, certo? Errado!

O Noturnall pratica um Prog Metal carregado de um peso  brutal, tanto no instrumental quanto no vocal, Thiago Bianchi mostrou muita versatilidade, diga-se de passagem. O trabalho é bem produzido, mixagem atual e timbres condizentes com a proposta dos caras, não esperem epopéias melódicas e velozes, a ênfase do trabalho é outro, guitarras que beiram o Thrash Metal, bateria e baixo quebrados, teclados e efeitos pouco convencionais.

A melodia está muito presente  mas diluída em meio a experimentações bem sucedidas, ninguém pode acusar o Noturnall de não ter personalidade, mas para situar a sonoridade podemos colocar o Dream Theater do pesadíssimo Train Of Tought mesclado com Groove Metal, mas com características próprias

O disco não foi feito para agradar qualquer fã, e sim mostrar a livre expressão dos músicos,  é um trabalho que prima pela liberdade criativa dentro de um aspecto pesado e complexo, a abertura com No Turn At All já choca o ouvinte que esperava algo convencional, Aquiles já apresenta viradas e andamentos brutais na bateria, e as guitarras pesadas  Leo Mancini já desmontam qualquer expectativa de músicas fáceis. 

Nocturnal Human Side é uma música cativante, contando com um dueto entre Russell Allen e Thiago Bianchi com grande refrão, cabe aplausos para Thiago que mostrou vocais muito agressivos carregados de drives, uma pequena ressalva na mixagem que as vezes compromete a nitidez da voz dele.

Aquiles Priester mostra o porquê é tão aclamado como baterista em Zombies, um show de bateria e percussão, o baixo de Fernando Quesada e a guitarra de Leo Mancini trabalham para construir uma estrutura pesada, e os teclados de Junior Carelli remetem a Derek Sherenian, com efeitos sintetizados usando até iPads e iPhones!  

Sem precisar apelar para clichês, o Noturnall buscou explorar muito mais que arranjos progressivos, os timbres e efeitos dos instrumentos são um meio de alcançar uma maior gama sonora, Master Of Deception é o exemplo claro disso,  massa sonora, pesada mas bem definida e amarrada com um refrão claro e simples. St Trigger é bem orientada para as guitarras de Leo Mancini com harmonias bem sacadas e um grande solo, vale destacar como Quesada e Aquiles trabalham de forma harmoniosa e complexa, é a melhor faixa do disco.

Sugar Pill vem mais comuml, que no caso deste álbum é um grande diferencial, mais leve, com uma boa pegada Hard Rock,  traz a sonoridade para um campo mais melódico lembrando Avantasia, com boa participação dos teclados e grandes linhas vocais. Last Wish suaviza as coisas na hora certa, uma balada que remete diretamente ao Shaman, piano, violões, arranjos de teclados muito bem escritos.

Hate!!! traz o prog metal de volta e flerta com o metal alternativo, dotada de um refrão ótimo, além de um bom trabalho da percussão de Aquiles. Fake Healers é avassaladora, o baixo de Quesada aparece com muito peso além de um solo espetacular. The Blame Game fecha o petardo de maneira mais calma com uma bem vinda  influência de Marilliom e grandes vocais de Bianchi, carregado de emoção.

Portanto não é um disco fácil, mas tem em sua complexidade seu maior mérito e se você ainda tem preconceito com Metal Nacional, com declarações do passado que você possa não concordar, esqueça, abra sua mente para um novo conceito, Noturnall estreou muito bem,  surpreendendo quem esperava uma sonoridade batida e acomodada. 

Um dos discos que estará no meu top 10 2014!






Nocutrnal Human Side


No Turn At All



Noturnall (2014)

  1. No Turn At All
  2. Nocturnal Human Side
  3. Zombies
  4. Master Of Deception
  5. St. Trigger
  6. Sugar Pill
  7. Last Wish
  8. Hate!!!
  9. Fake Healers
  10. The Blame Game

A Banda


Thiago Bianchi (Vocal)
Fernando Quesada (Baixo, Backing Vocals e Guitarras Acústicas)
Leo Mancini (Guitarras, Backing Vocals, Guitarras Acústicas)
Junior Carelli (Teclados, iPads, iPhones e Backing Vocals)
Aquiles Priester ( Bateria e Backing Vocals)

Postar um comentário