24 de nov de 2015

Act Of Defiance - Birth And The Burial




Nota: 8,5

Quando o guitarrista Chirs Broderick e o baterista Shawn Drover deixaram o Megadeth e anunciaram a intenção de trabalharem juntos, os fãs do Thrash Metal ficaram na expectativa do que poderia vir,o projeto começou tomar forma quando o vocalista Henry Derek (ex- Scar Of Martyr) e o baixista Matt Bachand foram anunciados, sob o nome de Act Of Defiance iniciaram os trabalhos do debut.

A experiência dos músicos somados a composições inspiradas fazem de Birth And The Burial um disco muito forte, carregando a mão em levadas pesadas da bateria reta e potente de Drover juntamente com as guitarras indefectíveis de Broderick que faz riffs marcantes, solos técnicos e passagens acústicas muito ricas. Os vocais de Derek são versáteis e alterna passagens guturais e melódicas remetendo ao estilo adotado por Chuck Billy do Testament.

Throwback foi a primeira música divulgada e impressiona, aqui Dave Mustaine deveria ter dado mais ouvidos aos seus companheiros de banda, um petardo marcante esbanjando o que faltou em Super Collider, peso e potência.

A avalanche sonora é mantida com as fortes Legion Of Lies, dotada de um belo trabalho vocal de Henry Derek, enquanto Thy Lord Belial não economiza no peso insano imposto pelo quarteto, mas é em Refrain and Re-Fracture que o Act of Defiance explora suas maiores qualidades, uma bela intro acústica de Broderick, levada matadora da cozinha com Drover e Bachand derrubando as paredes e Derek explorando bem sua voz.

Sem dar tempo para respiros, Dead Stare acelera na faixa mais "Megadeth" do disco, até nas linhas vocais, um Thrash Metal ultra técnico que poderia estar em Endgame, aliás Broderick é um monstro das guitarras, Desastrophe promove o encontro da sonoridade mais moderna do Groove Metal com o Thrash clássico como faz o Lamb Of God, mais um grande momento.

Explorando mais nuances da música pesada Poison Dream poderia estar em um disco do Nevermore graças aos arranjos intrincados e melodias que passam muita tensão antes de explodir em partes pesadas, destaque para o baixo cavalar evidenciado pelo ótimo trabalho do produtor Zeuss. 

Chegando ao final do debut, Obey The Fallen é dotada de um riffs daqueles (é Mustaine, você deveria te ouvido os caras ao invés de produtores mágicos) e um das melhores perfomances de Shawn Drover que amassa seu kit sem cerimônias. Crimson Pslam aprofunda incursões no groove e vocais limpos em um ritmo hipnótico, quanto a faixa título é dotada de um riff épico com grande destaque aos vocais de Henry Derek que tem sua melhor perfomance.

O Act of Defiance tem tudo para se firmar no cenário e dar continuidade a sua proposta simples e eficiente, fazer Thrash Metal com muita qualidade e influências diversificadas, o primeiro passo já foi dado e com certeza Shawn Drover e Chris Broderick mostraram que eram muito mais do que músicos coadjuvantes do Megadeth. Que venham mais discos.



Throwback






The Birth And The Burial (2015)



A Banda

Henry Derek (Vocal)
Chris Broderick (Guitarra e Violão)
Shawn Drover (Bateria e Backing Vocals)
Matt Bachand (Baixo e Hacking Vocals)


Postar um comentário